Huawei apresenta novidades para suporte a redes 5G que chegam neste ano

Por Rafael Rodrigues da Silva | 24 de Janeiro de 2019 às 15h20
B Mobiled
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

Ainda que esteja vendo países banindo seus produtos por receio de estarem sendo espionados pelo governo chinês, a Huawei continua firme e forte em seus planos em ser a primeira empresa a dar suporte total às redes 5G, e anunciou nesta quinta-feira (24) uma nova linha de chips e dispositivos preparados para utilizar o novo modelo de redes móveis para celulares — inclusive capazes de operar nas maiores velocidades do mercado.

Uma das novidades anunciadas foi o chip Tiangang, que a empresa descreve como “o primeiro chip de núcleo desenvolvido especialmente para estações de transmissão 5G”. Criado para atender as necessidades das operadoras que irão fornecer serviços de 5G para seus clientes, ele oferece um tempo de processamento dos pedidos 2,5x mais rápido do que seus antecessores, e também oferece um consumo de energia 21% menor, com diminuição no tamanho e peso das antenas, o que tornarão as redes 5G da Huawei muito mais simples e rápidas de serem instaladas do que as redes 4G.

Já para o consumidor comum, a empresa anunciou o Balong 5000, um chip para ser usado em smartphones que suporta redes 2G, 3G, 4G e 5G de todas as frequências existentes, com velocidade máxima de download de 6,5Gbps — mais do que o dobro do outro chip 5G da empresa, o Balong 5G01, que atingia uma velocidade máxima de download de 2,3Gbps —, e ele é o primeiro modem do mundo que suporta todas as redes existentes em um único chip.

Balong 5000 é o primeiro modem do mundo a dar suporte a todas as redes existentes em um único chip (Foto: Huawei)

A empresa também revelou que o Balon 5000 já está sendo usado em conjunto com o processador Kirin 980 em alguns dos primeiros smartphones 5G que serão lançados no mercado, e que a empresa deverá revelar no Mobile World Congress (MWC), evento que vai acontecer em Barcelona no final de fevereiro. A empresa também espera que o Balong 5000 seja usados em automóveis integrados e outros dispositivos “smart”, e já garantiu que estará presente no smartphone de tela dobrável que a companhia irá apresentar durante o MWC.

O desafio da Huawei agora é convencer tanto os usuários de smartphones quanto as operadoras de telefonia a apostarem nos equipamentos da empresa, visto que ela perdeu bastante credibilidade no final de 2018 com as diversas denúncias de que os equipamentos da marca eram usados pelo governo chinês para espionar outros países. Apesar disso, a empresa continua sendo a única a oferecer soluções completas para a instalação e uso de rede 5G por um preço relativamente baixo, e por isso já garantiu 30 contratos comerciais para instalação de redes 5G ao redor do mundo, que significarão a venda de 35 mil estações de transmissão de 5G. Isso mostra que a qualidade aliada ao preço continua tornando a empresa extremamente competitiva, ainda que esteja envolvida em tantas polêmicas.

Fonte: Huawei

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.