Siga o @canaltech no instagram

Chegada de novos Chromebooks deve aumentar escassez de chips Intel no mercado

Por Rafael Rodrigues da Silva | 11 de Março de 2019 às 20h20
Tudo sobre

Intel

Saiba tudo sobre Intel

Ver mais

De acordo com uma reportagem publicada pela Digitimes Research, a oferta de processadores Intel no mercado, principalmente dos modelos mais populares, deverá diminuir ainda mais no segundo trimestre deste ano, o que poderá levar a um aumento de preços de todos os processadores da empresa, que acredita conseguir estabilizar o mercado e suprir toda a demanda apenas no final do ano.

Essa não é a primeira vez em que a Intel tem problemas para suprir a demanda do mercado por processadores da empresa, e desde agosto de 2018 os baixos números de processadores Core i5, Pentium e Atom disponíveis têm atrapalhado as operações de assistências técnicas de marcas como HP, Lenovo e Dell. A Intel ainda não conseguiu estabilizar sua operação para suprir toda a demanda desses componentes, o que aumentou a procura por processadores Core i3 — e esse aumento da procura pode colocar também esses chips em falta no mercado.

A maior preocupação dos fornecedores é que, como nos próximos meses deverão ser lançados no mercado uma série de novos Chromebooks, a quantidade de processadores Intel disponíveis no mercado ficará ainda menor. Essa escassez não deverá afetar tanto as grandes distribuidoras e fabricantes que já estocam chips para durar meses, mas principalmente as pequenas assistências e lojas de informática.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Esses problemas estão acontecendo principalmente pelas mudanças que a Intel está fazendo em suas linhas de produção, já que a empresa pretende lançar seu primeiro processador de 10 nm no final deste ano — o que tem de certa forma atrapalhado a fabricação dos processadores de 14 nm que a empresa já possui no mercado. Assim que finalizar as mudanças em sua linha de produção, a Intel acredita que deverá aumentar sua capacidade produtiva em cerca de 25%, o que ela acredita ser suficiente para garantir que não haja mais problemas de demanda — mas essas mudanças deverão ser finalizadas apenas em meados de agosto deste ano.

Quem provavelmente irá se beneficiar com os problemas de produção da Intel é a AMD, quem tem tido bastante sucesso com sua linha de processadores Ryzen nos últimos anos e irá lançar a próxima geração desses chips dentro dos próximos meses.

Fonte: DigiTimes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.