ARM vai fabricar novos chips para supercomputadores

Por Redação | 22 de Agosto de 2016 às 15h35

A empresa britânica ARM, que conquistou o mercado de telefonia móvel, agora quer alcançar novos mercados. A companhia, que começou a produção de chips móveis nos modelos de iPhone, da Apple, também quer estar presente nos computadores mais rápidos do mundo. Nesta segunda-feira (22), a empresa anunciou um novo design de chips oriundo de processadores móveis, mas com extensões e ajustes para aumentar seu poder de computação. O anúncio acontece poucas semanas depois da empresa japonesa Softbank afirmar que iria adquirir a ARM por US$ 32 bilhões.

Com o dinheiro da transação, espera-se que a ARM acentue seu foco nos servidores e na Internet das Coisas. Os novos chips da ARM deverão competir com os que já estão sendo desenvolvidos pela Intel, IBM e outras fabricantes que também trabalham em soluções para supercomputadores. Países como os Estados Unidos, Japão e China querem ser os primeiros a atingirem supercomputadores que oferecem 1 exaflop de desempenho, correspondente a um quintilhão de cálculos por segundo. Intel, IBM e Nvidia também estão trabalhando para alcançar este nível de desempenho.

Com o acordo da Softbank para adquirir a ARM, um supercomputador deverá ser instalado no Japão. O supercomputador Post-K será desenvolvido pela Fujitsu e deverá contar com os chips da ARM de alto desempenho. O Pós-K será de 50 a 100 vezes mais rápido que o seu antecessor, o K, que é atualmente o quinto computador mais rápido do mundo. O Computador K oferece 10,5 petaflops de pico de desempenho com o processador SPARC64 VIIIfx, concebido pela Fujitsu.

O novo design do processador ARM será baseado na arquitetura ARM-V8A de 64 bits e terá extensões de processamento chamadas de Scalable Vector Extension. Os novos chips da ARM podem trazer alto desempenho, enquanto conseguem reduzir o consumo de energia.

Diversas empresas que possuem planos para utilizar os chips da ARM também em servidores. Dell e Lenovo estão testando servidores ARM e afirmaram que pretendem oferecer produtos de acordo com o crescimento da demanda. A Qualcomm também está testando servidores ARM com os desenvolvedores em nuvem, assim como a Hewlett Packard Enterprise, que está utilizando os chips para sistemas de armazenamento. A ARM também conta com a Broadcom e a Cavium como clientes.

Via PCWorld

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.