AMD é processada por suposta propaganda enganosa de processadores

Por Redação | 10 de Novembro de 2015 às 12h04

Uma ação conjunta de usuários está sendo movida nos Estados Unidos contra a AMD por suposta propaganda enganosa na divulgação dos processadores da linha Bulldozer. De acordo com o processo, a fabricante teria afirmado publicamente que seus chips contariam com oito núcleos de processamento quando, na verdade, possuem apenas quatro que funcionam em um sistema de compartilhamento de recursos para maximizar a performance e atingir o patamar de um octa-core.

A ação envolve não apenas as acusações de propaganda enganosa, mas também de fraude, no que seria uma “maquiagem” do funcionamento do sistema para fazer com que os chips Bulldozer tenham mais desempenho do que realmente possuem. Mais do que tudo isso, o processo pede que o tribunal regule a atuação das fabricantes de processadores e defina exatamente o que é um núcleo de processador, de forma a regular a operação não apenas da AMD, mas também de outras fabricantes, evitando ou possibilitando a abertura de ações por práticas fora do padrão no futuro.

A empresa não se pronunciou sobre o assunto e o processo corre em segredo. Desde já, porém, especialistas afirmam que a ação, apesar de ter razão de ser, não deve se sustentar na Justiça devido à ausência de quesitos técnicos essenciais para um processo desse tipo, além de erros em afirmações que são essenciais para que o caso se sustente.

Por exemplo, a ação afirma que os chips Bulldozer possuem uma performance equivalente a 50% do poder de processamento de arquiteturas com seis núcleos, quando, na verdade, esse potencial é equivalente. Além disso, os documentos explicitam que os blocos FPU também são compartilhados, impossibilitando a realização de cálculos complexos e a chegada a oito núcleos, mesmo que compartilhados, o que também não é verdade. De acordo com especialistas, a performance do produto sofre um impacto de cerca de 20% para menos nesse tipo de funcionamento, que é plenamente possível.

Para finalizar, analistas criticam o pedido para que a Justiça defina o que são núcleos de processamento, algo que pode abrir um precedente perigoso não apenas no desenvolvimento de novas tecnologias, mas também para as fabricantes, que terão que se proteger ainda mais de oportunistas. A expectativa, porém, é que por mais que a ação tenha seus méritos, seus erros e imprecisões devem acabar a derrubando.

Fonte: Extreme Tech