AMD corrige "bug" que impedia processadores Ryzen 3000 de alcançar clock máximo

Por Rafael Rodrigues da Silva | 12 de Setembro de 2019 às 10h25
Tudo sobre

AMD

Saiba tudo sobre AMD

Ver mais

Nesta terça-feira (10) a AMD anunciou uma atualização de firmware para toda a linha de processadores Ryzen 3000 para desktops. A atualização corrige um problema que impedia os processadores de operarem no clock máximo prometido pela fabricante, além de melhorar o funcionamento dos componentes em modo "repouso" para diminuir o consumo de energia. O anúncio também fala de um novo SDK, que deverá ser lançado no dia 30 de setembro e oferece algumas APIs para o monitoramento do PC.

Recentemente, uma pesquisa feita pela comunidade de overclockers mostrou que os Ryzen 3000 não estavam entregando a velocidade prometida, pois a empresa havia reduzido o clock dos componentes para garantir um maior tempo de vida para eles — mas fez isso sem avisar aos clientes da marca.

Apesar disso, o novo firmware não é uma resposta direta às reclamações dos clientes, trazendo melhorias que irão ajudar a melhorar tanto a velocidade de clock quanto a vida útil do componente. Isso porque ela introduz um “filtro de atividade” ao processador, que é um algoritmo que permite à CPU ignorar sinais de ruído intermitentes enviados pelo sistema operacional ou por aplicações executadas em segundo plano.

Normalmente, aplicações como reprodução de vídeo ou programas de monitoramento enviam pedidos regulares para que a CPU dê uma turbinada em sua velocidade de processamento, mesmo que a aplicação não utilize praticamente nada da capacidade do processador — o que faz com que esse pedido seja desnecessário. Assim, o filtro de atividades irá reconhecer e ignorar esses pedidos, fazendo com que a CPU só aumente a velocidade de processamento quando realmente for necessário, garantindo uma maior economia de energia e vida útil para o componente.

Nova SDK da AMD, que permitirá monitorar toda a atividade do computador em uma única tela (Imagem: AMD)

Já o SDK revelada pela empresa promete um monitoramento consistente da atividade do computador com resultados confiáveis e exibirá dados de temperatura do processador, tensão de pico e tensão média de trabalho dos núcleos da CPU, quais são os limites de corrente e potência do regulador de tensão da placa-mãe e no soquete do processador, qual foi o pico de clock da CPU mais recente, a frequência efetiva de trabalho (já ajustada para considerar os períodos de baixa atividade), assim como as voltagens e velocidades de clock de componentes específicos do circuito.

O SDK ainda não está disponível publicamente e deverá ser publicado apenas no dia 30 de setembro. Já o novo firmware para processadores Ryzen 3000 já pode ser encontrado em sua versão “raiz”, mas a AMD diz que deve demorar cerca de três semanas até que todas as fabricantes de placas-mãe que aceitam os processadores da linha possam adaptar essa atualização para seus equipamentos.

Fonte: Ars Technica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.