Wii U: Novas especificações de hardware mostram que console tem futuro

Por Redação | 31 de Agosto de 2012 às 13h15

Que o Wii U está em evidência isso é fato, ainda mais quando falta um bom tempo para os consoles da nova geração darem as caras. Vez ou outra, informações sobre as especificações de hardware do console aparecem e vamos tentando prever pela imaginação se o troço vai ser bom mesmo ou não.

Até então, a Nintendo havia liberado informações de que o aparelho será equivalente aos consoles da atual geração, mas agora essa nota foi desmentida. É, pra variar chegamos num ponto que enquanto o aparelho não chegar mesmo no mercado, não tiraremos a prova. De qualquer forma, o site

Eurogamer

fez uma limpa na rede e vasculhou até onde não pôde para nos dar um parecer preciso sobre o que teremos nas mãos.

A empresa japonesa mesmo não abriu e nem abrirá o bico tão cedo, mas temos a possível configuração da nova plataforma. Trata-se de uma máquina com CPU criado pela IBM, três núcleos Power PC, 1GB de RAM (o dobro do que tem o PS3 e Xbox 360), GPU AMD série 7 com suporte DirectX 10 e Shader Model.

Vendo assim, por cima, parece um console e tanto, equiparado ao que temos hoje contradizendo as más linguas que insistem que o vídeogame da Nintendo vai continuar num patamar baixo perto das máquinas da Microsoft e Sony.

O processamento não é lá aquelas coisas, mas devemos ter aí gráficos muito melhores. No entanto, uma coisa precisa da outra e é aí que vamos ver. Apesar da memória ter um papel importante para o título rodar, nada é certo sobre a competência do Wii U. Infelizmente.

Temos aí uma mensagem clara de que a desenvolvedora realmente está se esforçando para chegar bem no mercado hardcore gamer, mas e depois com a chegada do Xbox 720 ou PS4, como poderemos classificar todo esse desempenho?

A boa notícia é que os fãs de Wii poderão começar a explorar novos horizontes, e aproveitar outras experiências com games mais complexos. Sair da caixa um pouco faz bem, não é?

Torcemos mesmo para que a Nintendo consiga se resgatar da taxação negativa, e talvez sua reputação de “loja de brinquedos” finalmente esteja perto de acabar.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.