Seagate UltraThin, o disco rígido mais fino do mundo

Por Pedro Cipoli

Os equipamentos em geral possuem uma tendência natural de ficar cada vez mais rápidos, ao mesmo tempo que ficam menores com processos de fabricação cada vez mais sofisticados. A prova mais percetível disso no mundo da tecnologia são os processadores, que atualmente contam com bilhões de transistores capazes de colocar os seus núcleos para rodar a vários GHz.

Nos dispositivos de armazenamento acontece o mesmo e, ainda que os HDs tenham evoluído muito pouco com o passar do tempo, sua capacidade total aumentou significativamente. Nos discos maiores de 3,5 polegadas (para desktops), já é possível armazenar até 4 TB. E a Seagate criou um disco rígido de 2,5 polegadas (para notebooks convencionais) com apenas 5 milímetros de espessura.

Seagate HDD Laptop Ultrathin

É impossível não falar da engenharia avançadíssima por trás de um HD tão fino. Estamos falando de algo mecânico, que para funcionar precisa rodar a 5400 rpm, e isso por si só já é algo que chama a atenção do HD UltraThin da Seagate. Como veremos mais adiante, mesmo com dimensões tão reduzidas o modelo é capaz de se comportar como um HD convencional de desktop.

Alguns podem se perguntar qual é a necessidade de um modelo tão fino. Bem, realmente não faz muita diferença no caso de notebooks convencionais, mas no caso de Ultrabooks a história é bem diferente, já que as pequenas dimensões desses dispositivos fazem com que HDs sejam inviáveis. Com o UltraThin, modelos extremamente finos como o Aspire S5 não precisam recorrer a SSDs, o que faz com que eles sejam mais baratos.

Agora vamos aos testes!

Configuração de testes:

  • Processador: APU AMD A10-6800K, 4 cores rodando a 4,1 GHz (geração Richland)
  • Memória: 8 GB DDR3 rodando a 1600 MHz em dois canais (Kingston)
  • Placa-mãe: ASUS A85X (Hudson)
  • Disco primário: Western Digital 500 GB 7200 RPM Sata III
  • Fonte: 3RSystem IceAge 500 watts
  • Windows 7 SP1 Ultimate

HD Tune Pro 5.50

O HD Tune Pro é uma das suítes mais completas de testes de discos rígidos, SSDs, Memórias RAM e até pendrives. O software é capaz de realizar inúmeros testes bastante detalhados e assim checar o funcionamento desses dispositivos em situações reais de uso. Na aba "Info" são listados os recursos do UltraThin, onde vemos que se trata de um modelo com interface SATA III e que possui todos os recursos esperados de um HD menos o controle acústico (que é desnecessário em modelos de somente 5400 rpm).

HD Tune 5.50 - Benchmark

Nos testes de leitura de dados do HD Tune Pro, a UltraThin obteve a performance próxima de um HD convencional, alcançando uma média de 83,4 MB/s de velocidade de transferência, com um pico de 107,5 MB/s e um mínimo de 49,3 MB/s — resultados semelhantes ao MiniStation Plus da Buffalo). Pelo gráfico, podemos ver que o desempenho cai de forma contínua para arquivos muito grandes, como acontece em discos rígidos comuns.

HD Tune 5.50 - INFO

Na aba "File benchmark" realizamos o teste de transferência de arquivos do HD Tune, que é mais rigoroso do que o de outros programas, e alcançamos velocidades de 105 MB/s de leitura e 99 MB/s de escrita, valores um pouco inferiores aos de muitos HDs convencionais.

HD Tune 5.50 - File Benchmark

Em testes de acesso aleatório, a UltraThin alcançou tempos típicos de um HD convencional, ou seja, bastante altos. Este quesito é onde os SSDs abrem uma vantagem generosa em relação aos discos rígidos, já que possuem tempos de acesso bem mais baixos. Neste teste, o UltraThin se saiu basicamente como qualquer HD convencional, fornecendo o mesmo número de operações por segundo (IOPS).

HD Tune 5.50 - Random Access

CrystalDiskMark 3

O CrystalDisk Mark é um programa gratuito e bastante simples, feito para medir o desempenho de dispositivos de armazenamento, e utilizamos blocos de 1000 MB como referência para os testes. Os resultados mostrados são as médias dos cinco resultados obtidos por operação e ficaram dentro do esperado e muito próximos dos alcançados no HD Tune Pro 5.50. Novamente temos um resultado ligeiramente menor do que o de um HD convencional.

CrystalDiskMark 3

ATTO Benchmark

Utilizado por muitas empresas para comprovar as taxas de transferência de memórias primárias (memória RAM) e secundárias (discos rígidos e SSDs), o ATTO Benchmark realiza transferência de blocos de dados de 512 bytes até 8 MB e disponibiliza o resultado na forma de gráficos de barras. O desempenho ficou novamente muito próximo de um HD primário, com taxas de transferência mais baixas para blocos de 512 bytes até 8 KB e se comportando de forma estável entre 8 KB e 8 MB. Aqui os resultados foram exatamente os mesmos que esperaríamos de qualquer HD de desktop ou notebook.

ATTO Benchmark

Conclusão

O preço sugerido do modelo de 500 GB que testamos é R$ 210 (o modelo de 320 GB é R$ 195), sendo um preço dentro da média por GB atualmente. Temos aqui um modelo que pode ser um dos maiores responsáveis pela queda de preços dos próximos modelos de Ultrabooks que aparecerão no mercado, considerando o altíssimo custo de se colocar um SSD de grande capacidade na máquina.

Como pudemos conferir, o UltraThin possui uma performance de leitura sequencial ligeiramente menor do que esperaríamos de um HD convencional, mantendo exatamente os mesmos tempos de acesso de dados aleatórios. Isso significa que o que se ganha em espaço (tanto físico quanto de dados) se perde em velocidade, nada que afete a performance geral da máquina se estivermos falando de um modelo que será utilizado somente como dados, mas que pode interferir bastante se for colocada como uma partição de sistema.

Vantagens

  • Bastante fino sem aparentar ser frágil
  • Performance próxima à de um HD convencional

Desvantagens

  • Se colocada como partição de sistema, pode afetar o desempenho da máquina
  • A escolha do fabricante de como utilizar o UltraThin (se dados ou sistema) pode significar o fracasso ou o sucesso de um modelo
Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!