Precisa estar em dois lugares ao mesmo tempo? Conte com a ajuda de um robô!

Por Redação | 14.10.2012 às 15:52

Teleconferências já fazem parte da rotina de muitos de nós, e constatamos que esta é uma maneira eficiente de aproximar pessoas que estão longe, principalmente no mundo dos negócios. Mas tal tecnologia pode ser limitada e inflexível. Como usuário remoto, você não consegue ter uma boa visão da sala onde estão todos os outros e não pode explorar nada além do que os olhos da câmera enxergam. Para mudar esse cenário, empresas como a Anybots, no Vale do Silício, estão tentando melhorar a experiência e oferecer mais mobilidade e flexibilidade aos usuários, graças ao auxílio de robôs, como é o caso do QB.

Na sede da Anybots em Santa Clara, Califórnia, a equipe projeta, fabrica e testa seus robôs móveis. Em um dado período de tempo, um bando de caras levinhos começam a se deslizar por um labirinto, controlados por um usuário localizado a algumas mesas ou quilômetros de distância. Imagine uma webcam sobre rodas - com US$ 9.700 (ou aproximadamente R$ 19.685), os robôs são desenvolvidos de acordo com as necessidades do usuário corporativo.

Robôs

Claire Deliunay na tela do smartphone, carregado pelo seu robô Botiful e um funcionário trocando ideias com um robô da Anybots que, na verdade, representaria o gerente da empresa, interagindo com pessoas no escritório (Fotos: Claire Deliunay e Anybots)

Por exemplo: se um gerente não puder estar fisicamente em uma reunião em seu escritório em São Paulo, ele pode participar do encontro diretamente de sua casa em Minas e fazer o log-in para controlar o robô, presente no local da reunião. Ele poderá ver e ouvir tudo que acontece no recinto através da câmera do QB, e seus colaboradores e colegas poderão interagir da mesma forma, pela tela do robô. Quando a reunião terminar, basta utilizar uma combinação de teclas para enviar o robô a outro local da empresa, para, quem sabe, participar de outro evento ou apenas ver o que está acontecendo por lá.

Para todos os outros seres humanos com salários menores, mas com os mesmos problemas de conectividade, outros empresários do Vale do Silício estão pensando em oferecer soluções distintas, também com robôs. Um exemplo: o Botiful, de Claire Deliunay, está sendo construído em sua própria garagem em Palo Alto. Ela criou uma base robótica pequena e móvel que pode servir de suporte a um smartphone em uma chamada do Skype.

Deliunay diz que o Botiful é perfeito para quem tem crianças em casa e precisa se conectar com outros membros da família que moram longe. Todo o seu projeto, idealizado no Kickstarter, conseguiu levantar US$ 300 de fundo (aproximadamente 610 reais) e seu primeiro modelo deverá ser entregue nos próximos meses.

Apesar de estar em inglês, vale a pena conferir os dois robôs no vídeo abaixo, realizado pela CNET: