Qualcomm avisa: os smartphones 4K estão chegando

Por Redação | 21 de Novembro de 2014 às 13h28
photo_camera Divulgação

Se você achava que as telas Retina e a grande contagem de pixels disponíveis nos aparelhos mais recentes já eram o suficiente, a Qualcomm chegou para dizer que você ainda não viu nada. De acordo com a fabricante dos processadores e chips que estão em muitos dos smartphones de topo de linha da atualidade, a resolução 4K está chegando ao mundo mobile e deve dar as caras em grande escala já no ano que vem.

Hoje, as mais altas resoluções encontradas em celulares estão na casa do Quad HD, com 2.560 x 1.440 pixels, ou 3,7 milhões deles na tela. Mesmo nos maiores tamanhos de tela disponíveis, enxergar os pontos individuais a olho nu já é bastante difícil e, para muitos fabricantes, não existiria nem mesmo muito sentido em seguir muito diferente disso. Apesar de um aumento na fidelidade visual, o efeito prático seria muito pequeno em relação ao investimento e aumento de preços necessários para proporcionar isso.

Para a Qualcomm, a questão vai muito além de questões financeiras. De acordo com as informações do Mashable, a empresa diz estar na briga para que a resolução 4K se torne o padrão na indústria como um todo, substituindo o ainda novato Full HD como o mínimo exigido desde televisores até smartphones. O movimento deve levar adiante não apenas os fabricantes de telas, mas também os desenvolvedores de software, produtores de entretenimento e diversos outros aspectos do mercado.

Junto com a chegada de telas 4K chegam também as câmeras mobile capazes de capturar vídeo com tal resolução. Elas já estão presentes, por exemplo, no Samsung Galaxy Note 4 e também no Sony Xperia Z3. Só que, como aponta a Qualcomm, são poucos os displays que são capazes de exibir tais imagens com a fidelidade que elas necessitam e merecem, e essa é uma questão que pode acabar atrasando o desenvolvimento da tecnologia.

Outro grande foco da Qualcomm está no mundo dos games. Para a empresa, a chegada da altíssima resolução aos jogos móveis é mais um passo na eterna briga que tenta coloca-los em pé de igualdade com os consoles de mesa. A companhia acredita que esse é um combate que o mundo mobile já venceu apenas pelo preço – enquanto um título lançado recentemente custa US$ 59,99, nos celulares um jogo inédito sai por preços na casa dos US$ 1,99, tornando-se uma alternativa bastante atrativa para os consumidores.

Além disso, a fabricante chama a atenção para o “advento” da realidade virtual, que necessita de resoluções gigantescas para funcionar da maneira devida. Produtos como o Samsung Gear VR já estão prestes a darem as caras no mercado e precisam de aparelhos do tipo para funcionar. O próprio aparelho citado utiliza o Galaxy Note 4 como tela, ou seja, está aqui mais uma boa oportunidade para a introdução das telas 4K.

A Qualcomm parece extremamente entusiasmada com esse futuro de milhares de pixels e, como não poderia deixar de ser, trabalha com processadores bastante poderosos para proporcionar tudo isso. Resta saber se os usuários realmente vão aderir, já que as altíssimas resoluções também necessitam de telas maiores e, por consequência, preços mais altos. Em termos de inovação, é algo necessário, sem dúvida. Mas será que, levando em conta o aspecto prático, vai colar?

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.