O que é um NAS (Network-Attached Storage)?

Por Pedro Cipoli

Com a popularização das redes domésticas, os NAS (Network-Attached Storage) estão começando a ficar populares tanto em residências quanto em empresas de pequeno e médio porte por trazerem uma configuração bastante simples se comparada a servidores, e por seu menor custo em relação a eles. Sua função básica é fornecer serviços de armazenamento a todos os computadores conectados à rede, onde as soluções do mercado se diferenciam tanto pelo espaço em disco quanto pelos recursos que oferecem.

Network-Attached Storage

Geralmente contando com vários discos rígidos funcionando em alguma variação de RAID (dependendo do foco em desempenho ou segurança), um hardware simples e um sistema operacional baseado em Linux ou UNIX, o NAS fica conectado à rede como uma unidade independente e é onde os usuários armazenam seus dados e backups, geralmente tendo acesso a apenas uma parte dos recursos oferecidos e espaço em disco.

E quais recursos são esses? Embora dependa bastante do fabricante, é comum vermos clientes de torrent, onde muitos deles suportam inclusive magnet links; funções de media center, dando a capacidade para os usuários de fazer streaming de músicas e vídeos pela rede local; e acesso remoto aos dados de qualquer parte do mundo, funcionando basicamente como uma nuvem pessoal. Muitos modelos também trazem programas específicos com funcionalidades adicionais.

Esquema de um NAS

Até agora, tudo o que foi apresentado pode perfeitamente ser executado por um computador doméstico, certo? Então quais são as vantagens de se investir em um NAS? Afinal, estamos falando sobre algo em torno de R$ 2.000 ou R$ 3.000. A primeira delas é a performance e estabilidade deste tipo de equipamento, capaz de atender um grande números de usuários sem perdas de desempenho. Outra vantagem é a segurança dos dados, fornecida tanto através do RAID (que diminui as chances de perda de dados) quanto através de um forte controle de acesso, evitando que usuários acessem arquivos de outras pessoas.

NAS-Logo

A terceira é que computadores convencionais normalmente não trazem a quantidade de armazenamento típica de um NAS, que foi projetado para lidar com vários terabytes de disco. Os modelos básicos costumam ser equipados com pelo menos 2 TB, sendo possível expandir se necessário, além de possuírem um sistema de arquivos projetado para tal função e utiliza protocolos próprios para fornecer a melhor performance possível. Caso os computadores da rede tenham o Windows, utiliza-se o procolo CIFS/SMB, com o NFS (Network File System) padrão e possuindo suporte ao FTP.

É importante lembrar que é possível montar um NAS sem ter que comprar um equipamento pronto, solução adotada por muitos usuários e empresas que precisam de um sem ter que fazer grandes investimentos. Geralmente são utilizadas máquinas antigas que não conseguem rodar um sistema operacional moderno, mas possuem desempenho de sobra para virarem um NAS. Para isso, basta instalar e configurar soluções gratuitas e de código aberto como o FreeNAS e o Openfiler.

FreeNAS
Openfiler

Possui um Network-Attached Storage em casa ou no escritório? Conte-nos quais são os recursos que utiliza nos comentários!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.