EPFL usa mistura de grafeno e molibdenita para produzir memória flash flexível

Por Redação | 05 de Abril de 2013 às 18h08

Pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Lausana (EPFL), na Suíça, combinaram dois materiais com altíssimas propriedades eletrônicas, o grafeno e a molibdenita, para desenvolver um protótipo de memória flash flexível, com alto desempenho, tamanho reduzido e consumo menor de energia. As informações são do site Engadget.

Há dois anos, a equipe de pesquisadores havia descoberto as capacidades semincondutoras da molibdenita, um mineral encontrado em abundância na natureza, e poucos meses depois, eles encontraram uma forma para criar um chip eficiente utilizando o material. Agora, eles reuniram a molibdenita e o grafeno para construir uma memória flash de alta performance, que é utilizada em dispositivos digitais como câmeras, telefones, laptops, impressoras e conectores USB.

EPFL memória Flash

Reprodução: Enagdget

"Para o nosso modelo de memória, combinamos as propriedades eletrônicas únicas da molibdenita com a condutividade incrível do grafeno", afirmou em nota oficial Andras Kis, autor do estudo e diretor do LANES (Laboratório de Eletrônica e Estruturas Nanométricas da EPFL). Os dois componentes devem superar as limitações físicas encontradas nos atuais chips de silício e transistores eletrônicos, além de proporcionar mais possibilidades de miniaturização e flexibilidade".

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!