Análise do Samsung Série 7 Chronos: desempenho e visual acima da média

Visto em muitas propagandas na televisão e em vídeos do Youtube, o Samsung Series 7 Chronos chama a atenção pelo design sofisticado e extremamente bem acabado, acompanhando o usuário com desempenho e elegância aonde for. Construído em uma chassi de alumínio escovado, o notebook apresenta bastante resistência a impactos e ajuda os componentes da parte interna a serem melhor refrigerados.

Samsung Chronos 01

Embora não seja tão fino quanto um ultrabook, a elegância do Series 7 surpreende, sendo uma das poucas opções atuais do mercado que combinam visual e poder de fogo com um preço não tão salgado assim. O equipamento tem um processador Intel Core i5 de segunda geração, 6 GB de memória RAM DDR3 e placa de vídeo Radeon HD 6750M - uma configuração bastante balanceada.

Além da configuração poderosa, é impossível não deixar de reparar no teclado e no touchpad da máquina. Enquanto o primeiro é emborrachado e possui retroilumionação (que inclusive é possível controlar a intensidade de luz), o touchpad já conquista logo de primeira, sendo extremamente preciso, confortável e espaçoso, o que faz o usuário realmente considerar aposentar o mouse.

Samsung Chronos 05

A tela é um outro quesito nota 10. A Samsung anuncia o Chronos como um notebook de 15 polegadas dentro de um corpo de 14, resultando em bordas bastante finas, trazendo uma resolução de 1600x900 pixels, bastante alta para um notebook. O brilho é muito confortável aos olhos, ideal para quem passa horas na frente do computador.

Com uma das configurações mais equilibradas entre processador e placa de vídeo que apareceram aqui no laboratório de testes, o Chronos conseguiu cravar 1298 pontos na configuração "Performance" do 3DMark 11 (confira aqui como funcionam os testes do 3DMark 11), impulsionada tanto pelo processador quanto pela placa de vídeo.

Esse resultado mostra que o Series 7 é capaz de executar qualquer tipo de vídeo em altíssima resolução, como Full HD 1080p com bastante tranquilidade, além de satisfazer o usuário quando se trata de algum game um pouco mais pesado com alguns filtros desativados. Usuários de programas gráficos como AutoCAD e Maya também conseguirão trabalhar sem grandes problemas.

3DMark 11

No PCMark 7 (veja mais detalhes do programa) o Série 7 conseguiu uma média de 1857 pontos, apresentando uma boa marca em todos os testes, principalmente nos quesitos "Criatividade" (2036), "Entretenimento" (2203) e "Computação" (2392).

Os piores resultados ocorreram devido ao armazenamento, que fica por conta de um disco rígido de 640 GB. Mesmo apresentando uma performance acima da média, ainda assim é o maior gargalo do sistema. Para um modelo dessa categoria esperávamos pelo menos um SSD híbrido com o disco primário funcionando como cache, melhorando em muito o desempenho geral da máquina e impulsionando tanto os testes de benchmark quanto a utilização normal do dia a dia.

PCMark 7

Rodamos o software de estresse de bateria Battery Eater Pro, onde a máquina conseguiu a impressionante marca de 4 horas e 36 minutos fora da tomada em condições extremas. O pessoal aqui da redação ficou curioso sobre o tempo que o Série 7 aguentaria sob condições normais de uso, o que nos surpreendeu de novo com quase 7 horas de funcionamento até entrar no modo de hibernação.

Na parte de conectividade temos 3 portas USB, sendo uma 2.0 e duas 3.0, leitor de múltiplos cartões de memória (SD, SDHC, SDXC, MMC), saída mini-VGA (adaptador incluso) e HDMI para vídeos de alta resolução, combo de fone e microfone, conector RJ-45 para conexão com a internet e leitor/gravador de CD/DVD, que também chama a atenção por ser completamente interno, ao estilo Macbook Pro.

O modelo traz também a versão Home Premium do Windows 7, garantindo assim que o usuário não terá as limitações impostas pelas versões Starter ou Home Premium e poderá fazer posteriormente a atualização para a versão 8 do Windows por cerca de R$ 30 pela oferta da Microsoft que vale até o final do ano.

Conclusões

O poder de processamento que temos hoje com as mais novas gerações de processadores e placas de vídeo fez com que os fabricantes se preocupem com outros quesitos que chamem a atenção do consumidor na hora da compra, mais do que somente o desempenho bruto.

Há pouco tempo, não tínhamos como diferenciar uma máquina com bom processamento de um modelo de entrada pois ambas traziam praticamente o mesmo acabamento, mas esse cenário parece estar mudando e o Chronos é a resposta da Samsung para atender a esse tipo de mercado, trazendo um desempenho acima da média e um visual que vai agradar a muitos usuários.

Vendido no mercado brasileiro por R$ 3099, o Series 7 realmente cumpre o que promete, trazendo autonomia, desempenho e design de cair o queixo. Ele é indicado para aqueles que precisam trabalhar em qualquer lugar com velocidade e sem se preocupar em tirar o carregador da mochila.

O acabamento fala por si só, focando em usuários que consideram a aparência tão importante quanto o desempenho. Embora não seja tão fino quanto um Ultrabook, é bastante bem acabado e fino para o nível de desempenho que apresenta, sendo indicado para a grande maioria dos usuários.

Vantagens:

  • Ótimo acabamento
  • Duas portas USB 3.0
  • Touchpad grande, preciso e confortável
  • Tela de alta resolução (1600x900)
  • Corpo de 14 polegadas mas tela de 15
  • Excelente desempenho
  • Estrutura resistente
  • Altíssima autonomia

Desvantagem:

  • O preço é justificado pelo visual, mas não pelo desempenho
  • Poderia trazer um SSD para acompanhar o resto do conjunto
Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.