Análise da ASUS Radeon HD 7950 DirectCU II TOP

Por Pedro Cipoli

Pouco conhecida no mercado brasileiro, a Radeon HD 7950 é a placa de vídeo da AMD que concorre diretamente com a NVIDIA GeForce GTX 670, tanto em preço quanto em performance, ficando situada entre a versão top de linha Radeon HD 7970 e Radeon HD 7870. O modelo que vamos conhecer hoje é uma implementação da ASUS conhecida como DirectCU II TOP, versão que traz uma solução de resfriamento bastante agressiva e ao mesmo tempo silenciosa da GPU, ocupando três slots de expansão no gabinete.

ASUS HD 7950 DirectCU II

Arquitetura Tahiti

Presente em todas as GPUs da série 7000 de placas de vídeo AMD e na segunda geração de APUs, traz cores de processamento conhecidos como Graphics Core Next, desenvolvidos em uma litografia de 28 nm e oferecendo cerca de 20-30% mais performance que a geração anterior (Série 6000), além de consumir menos energia. Recursos como AMD Eyefinity, AMD HD3D e AMD PowerTune estão presentes em todos os modelos de alto desempenho, que suportam conexão PCI Express 3.0, OpenCL 1.2, OpenGL 4.3, Shader Model 5.0 e jogos baseados em DirectX 11.1.

Detalhes técnicos

A versão DirectCU II TOP da ASUS traz 1792 cores de processamento rodando a 900 MHz, em vez deos 850 MHz das unidades de referência da AMD, 112 unidades de textura e 32 unidades ROPs. Os 3 GB de memória RAM GDDR5 rodando por padrão a 5000 MHz são acessados por uma interface de 384 bits, resultando em banda de transferência de dados de 240 GB/s. Com duas conexões Mini DisplayPort, uma HDMI e uma dual-link DVI, a Radeon HD 7950 é capaz de suportar até 6 monitores simultâneos com a tecnologia Eyefinity.

Para alimentar a placa, é necessária uma fonte com 2 conectores PCIe de 6 pinos e um gabinete generoso, pois além dos 3 slots de expansão necessários para acomodá-la, ela precisa de espaço, por ser mais comprida que as placas com as quais já estamos acostumados. Seu tamanho se deve à solução de resfriamento da ASUS. Com cerca de 30 cm de comprimento, é necessário um gabinete voltado especificamente para gamers como o NXZT Tempest EVO que utilizamos em nossos testes.

ASUS HD 7950 DirectCU II

Desempenho

Especificações generosas e solução agressiva de resfriamento são as marcas da ASUS Radeon HD 7950 DirectCU II TOP. Agora vamos ver como ela se sai nos testes e certificar se os 4,31 bilhões de transistores que equipam a GPU são capazes de suportar as necessidades do usuário de altíssimo desempenho.

Configuração de testes

  • Processador: Intel Core i7 980X @ 4.1 GHz com 6 núcleos e 12 threads;
  • Cooler do processador: Havik 140;
  • Placa-mãe: Gigabyte GA-X58-UD3R rev.2;
  • Memória: Patriot 6 GB DDR3 1600 Mhz em triple-channel;
  • Fonte: Corsair ATX 800 Watts Gaming Series;
  • Disco Rígido: Western Digital 500 GB Sata III;
  • Gabinete: NZXT Tempest EVO;

* Processador, cooler e gabinete gentilmente cedidos pela Casemall

3DMark 11

A 3DMark 11 é uma suíte de benchmark desenvolvida pela Futuremark para testar máquinas com suporte ao DirectX 11. Na configuração "Extreme", que utiliza resolução HD 1920x1080, a ASUS Radeon HD 7950 DirectCU II TOP alcançou a pontuação combinada de 2814 pontos, o suficiente para jogar alguns dos jogos mais modernos na qualidade máxima.

3DMark 11 - ASUS Radeon HD 7950 DCU - Extreme

Na configuração "Performance", que utiliza resolução de 1280x720 (720p), a versão da ASUS conseguiu 8172 pontos, se saindo um pouco melhor do que a versão de referência da GTX 670, que nas mesmas configurações marcou 8018 pontos, tendo assim um pouco mais de fôlego para aguentar jogos em DirectX em resolução HD com uma altíssima taxa de frames por segundo.

3DMark 11 - ASUS Radeon HD 7950 DCU - Performance

Rodamos o teste nas configurações "Entry" (1024x600, nenhum filtro ativado) apenas por curiosidade. Claramente, a ASUS Radeon HD 7950 é capaz de aguentar jogos DX11 tranquilamente nessa resolução.

3DMark 11 - ASUS Radeon HD 7950 DCU - Entry

3DMark Vantage

O 3DMark Vantage é um famoso programa de teste de desempenho para máquinas capazes de executar o DirectX 10, dando uma boa noção de como a placa se sairá em jogos desenvolvidos com essa tecnologia. A marca de 17555 pontos na configuração "Extreme" (1920x1200, filtros ativados) a coloca lado a lado com a GTX 670 e em uma posição melhor do que a GTX 660 TI, garantindo um bom frame para jogos DX10.

3DMark Vantage - ASUS Radeon HD 7950 DCU - Extreme

Nas configurações "High" (1680x1050, alguns filtros ativados) a situação se inverte, com a GTX 670 se saindo um pouco melhor (23260 de pontuação individual da GPU) enquanto a ASUS Radeon HD 7950 marcou 22962 pontos, mas ainda assim capaz de aguentar cargas de processamento gráfico bastante parecidas.

3DMark Vantage - ASUS Radeon HD 7950 DCU - High

Nas configurações "Performance" (1280x1024, alguns filtros ativados), foram marcados 31047 pontos da ASUS Radeon HD 7950 de escore individual de CPU, que a posicionam entre a GTX 670 (36532) e GTX 660 TI (27754), sendo capaz de aguentar tranquilamente jogos nessa resolução.

3DMark Vantage - ASUS Radeon HD 7950 DCU - Perform

PCMark 7

O PCMark 7 realiza uma série de testes de desempenho dividindo os resultados em categorias, como produtividade, entretenimento e assim por diante. Cada uma delas precisa de uma combinação de processamento da CPU, memória RAM e placa de vídeo para alcançar a sua pontuação.

Nos testes que exigem processamento gráfico, a ASUS Radeon HD 7950 alcançou mais de 60 fps em quase todas as simulações, com destaque para os 187,80 FPS do teste individual "Perlin Noise". O gargalo de vídeo fica por parte da renderização de cores da GPU, que alcançou 12,74 FPS.

Esses resultados mostram que tarefas como CAD, codificação e decodificação de vídeo, gerenciamento de conteúdo multimídia e qualquer outra tarefa que necessite de processamento gráfico não sofrerá perda de desempenho, sendo possível até conectar a placa de vídeo a uma televisão 4K (3840x2160) e assistir a filmes nessa resolução.

PCMark 7 - ASUS Radeon HD 7950 DCU

Conclusão

Disponível no Brasil por aproximadamente R$ 1.300, a ASUS Radeon HD 7950 DirectCU II TOP é uma opção competitiva em relação à GTX 670, pois oferece um nível de performance maior que o da versão de referência da principal concorrente nessa faixa de preço. Para usuários que desejam o máximo de desempenho, é possível criar um CrossFireX triplo com as conexões de ponte disponível da placa, sendo para isso necessário nada menos do que 9 slots de expansão disponíveis no gabinete.

A solução da ASUS permite que se aumente clock de operação para 1025 MHz, sem problema de superaquecimento, sendo uma grande vantagem competitiva em relação às soluções adotadas por outras empresas. O custo é a necessidade de um gabinete maior, com pelo menos 30 cm de comprimento para acomodar a GPU, o que em algumas placas-mãe pode ser um problema se os conectores SATA forem posicionados para cima.

Vantagens

  • Preço competitivo pelo desempenho oferecido;
  • Solução de resfriamento que oferece 20% a mais de refrigeração;
  • Suporte a placas-mãe com slots PCI Express 3.0.

Desvantagens

  • Necessidade de um gabinete que comporte os quase 30 cm da placa de vídeo;
  • Pode cobrir algumas conexões SATA dependendo da placa-mãe.