AMD formará nova equipe de liderança para competir com Intel

Por Redação | 13 de Janeiro de 2015 às 16h21
Tudo sobre

Intel

A AMD sempre foi uma ótima opção no que diz respeito a processadores para PCs. No entanto, nos últimos anos a empresa tem perdido espaço para a Intel em desktops, laptops e servidores. Para tentar se diversificar, ela apostou em outros produtos como consoles e processadores ARM. Mas os resultados obtidos mostram que a companhia ainda precisa se reinventar.

De acordo com informações da Bloomberg, três executivos importantes da AMD deixaram a empresa. Segundo a companhia americana, isso faz "parte da implementação de uma equipe otimizada de liderança para impulsionar o crescimento futuro da AMD".

Foi possível constatar que um dos executivos que não pertencem mais à liderança da AMD é John Byrne, chefe da divisão de computadores e gráficos, que foi responsável pelos processadores de PC e placas de vídeo. Além de Byrne, a diretora de marketing Colette LaForce e o diretor de estratégia Raj Naik "deixaram a AMD para buscar novas oportunidades", afirmou a empresa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Lisa Su, que assumiu o cargo de CEO em outubro, já realizou a demissão de mais de 7% dos funcionários da empresa. Nesta mesma época, a CEO afirmou que iria reerguer a AMD por meio de "investimentos certos em tecnologia", o que envolve simplificar a linha de produtos da companhia e continuar com o foco em diversificação.

Dados da IDC, correspondentes ao terceiro trimestre de 2014, revelam que a Intel tem pleno domínio no mercado. A concorrente tem 82% do mercado de desktops, 90% dos laptops e incríveis 98% dos servidores. Isso mostra que a AMD e outras concorrentes têm grande dificuldade em competir em pé de igualdade com a Intel.

Enquanto a Intel tenta deslanchar no setor móvel, a AMD ao menos investiu neste setor. Em 2009 a empresa vendeu sua unidade de chips gráficos móveis para a Qualcomm, que se transformou no que conhecemos como linha Adreno. O sucesso da Qualcomm neste setor mostra que a decisão da AMD em se desfazer de sua unidade móvel foi equivocada.

AMD

No entanto, a AMD ainda tem espaço para ser bem-sucedida. A empresa possui uma divisão de sucesso relacionada a processadores semicustomizados, que estão presentes nos três maiores consoles da nova geração. O PlayStation 4, da Sony, e o Xbox One, da Microsoft, têm um processador AMD Jaguar de oito núcleos e chip gráfico com arquitetura Radeon. Já o console da Nintendo, o Wii U, é equipado com um chip gráfico Latte da IBM, que também é baseado na arquitetura Radeon. A companhia também produz processadores com arquitetura ARM que são utilizados em servidores de baixa potência e consomem menos energia.

Mas parece que o ritmo dos avanços da empresa não está sendo suficiente. De acordo com a Reuters, "os avanços têm sido mais lentos do que o exigido por Wall Street". Isso pode ser comprovado nos valores dos papéis da empresa, que caíram pela metade desde 2011.

Para conseguir manter certa relevância e respirar no concorrido mercado de chips, a AMD terá que formar uma boa nova equipe. Certamente Lisa Su estará empenhada nisso.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.