#tangodown de novo: Anonymous agora derruba site do DEM

Por Redação | 03 de Fevereiro de 2017 às 13h59
photo_camera Divulgação

Ontem foi o site do novo presidente do Senado, Eunicio Oliveira. Hoje foi o site do partido do novo presidente da Câmara dos Deputados. O Anonymous continua em guerra com as lideranças em Brasília após as movimentações políticas feitas esta semana na capital do país.

No final da manhã desta sexta-feira, o grupo hacker divulgou em sua página oficial no Facebook que tirou do ar o site do partido dos Democratas (DEM). O ataque serviu para protestar contra a eleição do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) como o novo presidente da Câmara dos Deputados. No texto, o grupo não poupou palavras duras ao deputado.

"Rodrigo Maia, aliado de Cunha, recebe dinheiro de empresa investigada na Lava Jato. Liderou o bando que limpou a bunda com o Pacote Anticorrupção na cagada da noite", disparou o Anonymous em sua página na rede social.

O ataque a Maia e ao Democratas ocorre cerca de 24 horas após o grupo ter feito o mesmo com Eunicio Oliveira, novo presidente do Senado. O grupo assumiu a autoria do ciberataque, apontando que ele foi a sua forma de "prestigiar" a nomeação de Oliveira ao novo cargo. Com a aprovação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi o nome escolhido pela legenda peemedebista para assumir o comando do Senado.

Após derrubar o site, o grupo hacktivista publicou na internet vários dados pessoais do atual presidente do Senado. Eunício Oliveira é o mais novo político a sofrer o chamado "exposed", ou seja, quando um grupo hacker consegue ter acesso a documentos, dados pessoais, número de telefone, CPF, posses e várias outras informações de determinada pessoa.

O Anonymous está com um começo de ano movimentado. O ataque do grupo hacker ao site do novo presidente do Senado se junta a outras façanhas como a divulgação de dados do Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Gilberto Kassab. Por conta de nova polêmica sobre a imposição de limitação nos pacotes de banda larga fixa, o grupo vazou informações do ministro como número de telefone, CPF, nascimento, endereço, participações societárias e muito mais. Todos os telefones fixos relacionados ao político também foram expostos, bem como os nomes de seus familiares próximos.

Caso a tendência continue, não é de se duvidar que logo mais o grupo exponha dados ou derrube sites de outros políticos relacionados às movimentações recentes. Estaremos de olho.

Fonte: Facebook

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.