Suposto membro do Anonymous é preso após resgate no mar

Por Redação | 18 de Fevereiro de 2016 às 14h42

Uma gigantesca coincidência originou uma história digna de filme e resultou na prisão de um possível membro do grupo hacktivista Anonymous. Martin Gottesfeld foi preso nesta quarta-feira (18), em Miami, ao lado da esposa, enquanto supostamente tentava fugir para Cuba para escapar de uma investigação do FBI.

O caso chegou a um fim quando a dupla foi resgatada por um cruzeiro da Disney, nas proximidades da costa americana, depois que o barco em que eles estavam passou, supostamente, por problemas que motivaram um pedido de socorro. As autoridades americanas estavam no encalço de Gottesfeld desde 2014, e haviam intensificado as buscas depois que amigos e colegas de trabalho alegaram que os dois haviam desaparecido, no que foi entendido como uma tentativa de fuga.

A descoberta de que eles estavam no cruzeiro foi feita por um agente do FBI nas Bahamas, que recebeu a informação de que um casal havia sido resgatado do mar. Após uma investigação adicional, eles foram confirmados como suspeitos e presos. De acordo com as informações das autoridades, eles carregavam bagagens com itens pessoais, três notebooks e uma quantia não revelada em dinheiro.

Gottesfeld é apontado como um dos mentores de um ataque realizado em abril de 2014 contra o Hospital Infantil de Boston – que só se revelou como alvo após a prisão. Ele seria o responsável pela publicação de um vídeo em que incentiva outros hackers do grupo a atacarem a instituição, em um golpe de negação de serviço que tirou a rede da instituição de saúde do ar por sete dias, mas de acordo com seus administradores, não resultou em interrupções nos tratamentos ou no vazamento de informações confidenciais de seus registros.

Os ataques foram uma retaliação ao caso Justina Pelletier, uma adolescente de 15 anos de idade que foi colocada sob tratamento na ala psiquiátrica do hospital depois que médicos encontraram indícios de abuso. A situação levou a uma batalha judicial que quase tirou dos pais a custódia da garota, até que foi vencida por eles e também resultou, inclusive, em um processo contra a própria instituição de saúde.

No vídeo que é atribuído a ele, Gottesfeld convoca os Anonymous a agirem em um caso que, na visão dele, é um exemplo claro da interferência do governo em assuntos familiares e nos direitos das famílias, onde eles não deveriam se intrometer. O ataque teria gerado prejuízos de mais de US$ 300 mil para o Hospital Infantil de Boston.

Fonte: NBC

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.