Pentágono vai pagar hackers que encontrarem falhas de segurança em seus sistemas

Por Redação | 11.04.2016 às 13:00

Tomando inspiração no Google e no Facebook, o Pentágono também está lançando um programa que vai recompensar hackers pela descoberta de vulnerabilidades e falhas em seus sistemas de segurança. Chamada de “Hack the Pentagon”, a iniciativa vai pagar valores de US$ 150 mil, somados, para os especialistas que ajudarem a localizar brechas que poderiam levar a ataques e invasões aos sistemas do governo.

Mais do que isso, a ideia da administração americana é não apenas melhorar a qualidade da própria proteção, mas também atrair mais e mais experts do setor privado para seu Departamento de Defesa. É justamente por isso que os participantes, que obrigatoriamente precisam ser cidadãos americanos, deverão apresentar as falhas e também se submeter a verificações de antecedentes criminais antes de receber os prêmios por suas descobertas.

O governo dos Estados Unidos afirma que os domínios públicos do Departamento de Defesa – o que inclui, por exemplo, sites do Pentágono, do FBI e da CIA – recebem cerca de 1 bilhão de visitas por ano. E cerca de 25% destas são maliciosas, representando algum tipo de tentativa de invasão, que podem ir desde desfigurações – quando hackers alteram as informações de uma página – até quebras de segurança para obtenção de dados confidenciais.

Sendo assim, o programa de pagamento de recompensas segue uma lógica bastante semelhante às das empresas que também realizam esse trabalho: trazer os hackers para o “lado certo” da coisa. Em vez de vê-los explorando as vulnerabilidades ou as vendendo pelo mercado negro, esse mesmo processo seria feito junto ao governo, com o recebimento de valores em dinheiro. Além disso, a oferta é uma forma de incentivar o escrutínio sobre os sistemas, tornando-os cada vez mais seguros.

Apenas em suas primeiras 24 horas, o programa Hack the Pentagon teve mais de 500 inscrições. Uma vez aprovados, os “caçadores de bugs” podem começar a trabalhar, ou apresentar suas descobertas, a partir do dia 18 de abril. Eles têm até 12 de maio para terminarem os trabalhos.

Fonte: TechCrunch