Jeff Bezos vai auxiliar autoridades em investigação sobre extorsão

Por Felipe Demartini | 12 de Abril de 2019 às 08h19
The Washington Post
Tudo sobre

Jeff Bezos

Saiba tudo sobre Jeff Bezos

O CEO e fundador da Amazon, Jeff Bezos, deve se encontrar nesta semana com autoridades americanas para dar continuidade às investigações sobre a extorsão que afirma estar sofrendo do tabloide National Enquirer. No início de fevereiro, o executivo acusou o veículo e o diretor do grupo de mídia responsável pela publicação, David Pecker, de usar fotos íntimas para comprar sua influência e retaliar pela publicação de artigos contrários ao governo de Donald Trump por meio do The Washington Post, que também pertence a ele.

O caso, entretanto, assumiu tons ainda mais sérios quando investigadores privados, contratados por Bezos, deram a entender que hackers da Arábia Saudita seriam os responsáveis pelo vazamento das imagens a partir de uma invasão ao celular pessoal do CEO da Amazon. Seria, então, uma retaliação dupla, também relacionada ao caso da morte do jornalista Jamal Khashoggi, também do The Washington Post, morto pelo governo do país no final do ano passado, na Turquia.

A reunião deve se debruçar justamente entre essas duas questões, uma vez que, por mais que o executivo e seus associados tenham feito afirmações e acusações públicas sobre os casos, nenhuma prova foi apresentada. A investigação oficial sobre o caso de extorsão ainda estaria em sua fase inicial, muito pela resistência de Bezos em permitir que as autoridades analisem o telefone que, supostamente, seria a origem das informações vazadas.

Bezos associa o caso de extorsão a um furo de reportagem relacionado a um caso extraconjugal de Donald Trump enquanto ele ainda concorria ao cargo de líder máximo dos Estados Unidos. Ele acusa o National Enquirer de uma prática chamada de catch and kill, comum na imprensa americana e relacionada à compra de exclusividade sobre uma matéria jornalística. Pecker teria pago US$ 150 mil pela história e, depois, rejeitado sua publicação, de forma a proteger o presidente, de quem é amigo e parceiro de negócios.

Do outro lado, Bezos estaria sendo ameaçado com a publicação de imagens íntimas de seu affair com a jornalista Lauren Sanchez. A revelação do caso foi feita pelo National Enquirer e levou ao fim do casamento do executivo com MacKenzie Bezos. Agora, Pecker teria proposto uma troca, com as imagens sendo mantidas em segredo caso o dono do The Washington Post desistisse de processos judiciais e fizesse publicações afirmando que o tabloide não foi motivado por razões políticas ao falar sobre seu affair.

Bezos se recusou a aceitar os termos e fez uma publicação no Medium denunciando a extorsão que vinha sofrendo. Na sequência, então, vieram as alegações de invasão por parte de agentes da Arábia Saudita, o que acabou escalando a investigação, que deixou de ser um caso de polícia para se tornar assunto federal, envolvendo até mesmo questões de segurança nacional.

Segundo os investigadores contratados pelo executivo, hackers sauditas teriam usado um malware para obter acesso ao celular de Bezos, extraindo fotos, vídeos e conversas privadas. As informações, então, teriam sido passadas ao irmão de Lauren Sanchez, Michael, que vendeu o pacote ao National Enquirer e sua empresa-mãe, a American Media Inc.

O encontro de Bezos com os procuradores federais americanos deve acontecer ainda nesta semana, de acordo com fontes ouvidas pela CNN. As autoridades dos EUA, entretanto, não comentaram sobre o andamento das investigações, assim como a assessoria do CEO da Amazon. Já o ministro das relações exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, disse que o país não tem nada a ver com essa história.

Fonte: CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.