Hackers russos descobriram detalhes da defesa cibernética dos Estados Unidos

Por Redação | 05 de Outubro de 2017 às 17h06

Em 2015, hackers russos apoiados pelo governo do país roubaram segredos dos Estados Unidos sobre como penetrar em redes de computadores estrangeiras e se proteger contra ataques cibernéticos, depois que um contratado da Agência Nacional de Segurança salvou informações confidenciais em seu computador pessoal. O roubo dos dados somente foi revelado agora.

O tal contratado teria contado com um software da Kaspersky Lab para proteger seu computador, mas, ainda assim, os hackers conseguiram invadir os sistemas, roubando os tais arquivos. Segundo especialistas, a brecha foi uma das mais significativas dos últimos tempos, incluindo detalhes de como a NSA consegue invadir computadores estrangeiros, como o código que é usado para a espionagem, por exemplo.

A exposição da invasão acontece em um momento de tensão entre os dois países envolvidos, coisa que vem rolando desde as eleições presidenciais de 2016, quando os EUA descobriram que os russos haviam hackeado computadores de grupos democráticos com o objetivo de influenciar o resultado, favorecendo o presidente republicano Donald Trump.

O Departamento de Segurança Interna chegou a proibir, em setembro, que os produtos da Kaspersky Lab fossem usados em redes federais, e o Senado aprovou uma lei proibindo seu uso também pelo Governo Federal, alegando que a empresa, cuja sede fica na Rússia, possa ser um peão do Kremlin, representando um risco nacional. Já a Kaspersky, que tem 400 milhões de clientes em todo o mundo, negou as acusações de que estaria trabalhando junto aos espiões russos.

Fonte: Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.