Hackers liberam lista com informações de funcionários do FBI

Por Redação | 10.02.2016 às 08:35

A ideia de que o governo dos Estados Unidos seria o patamar mais alto em termos de segurança da informação foi colocada à prova quando um grupo hacker intitulado Dot Govs liberou milhares de informações sobre funcionários do FBI e do Departamento de Segurança Nacional. Os dois, ironicamente, estão na lista de órgãos oficiais envolvidos em escândalos de espionagem ostensiva e são acusados por Edward Snowden, Julian Assange e outros delatores como responsáveis por quebrar as liberdades individuais dos cidadãos norte-americanos.

A relação foi publicada livremente na internet e contém informações sobre mais de 30 mil pessoas – seriam mais de 22 mil apenas do FBI e mais de 9 mil do Departamento de Segurança Nacional. Entre os dados vazados estão nomes completos, endereços de e-mail, cargos, estados em que residem e números de telefones, o que incluiria também celulares, sejam eles pessoais ou não.

Os dados vazados não são necessariamente confidenciais. O que preocupa as autoridades, entretanto, é a variedade de cargos presentes na lista, contendo desde agentes especiais até especialistas em diversas áreas, o que poderia colocar aqueles com menos treinamento em termos de segurança digital no alvo de ataques de phishing para obtenção de mais informações, sejam elas pessoais ou que permitam acesso aos sistemas governamentais.

Já os hackers do DotGov afirmam terem obtido acesso aos dados de maneira simples. Tudo começou com a obtenção das credenciais de e-mail de um funcionário do Departamento de Justiça. A partir do correio eletrônico, o responsável pela invasão pediu suporte no acesso à rede interna do órgão e, uma vez dentro, teria acessado a mais de 1 TB de dados dos funcionários de diversos ramos do governo, dos quais 200 GB teriam sido baixados.

Em comunicado oficial, o Departamento de Justiça disse estar investigando o vazamento de informações e acredita, até agora, que dados confidenciais ou sigilosos não tenham sido acessados pelos hackers. Ainda assim, o órgão afirmou que vai implementar novas medidas de segurança e contatar as outras agências afetadas não apenas para garantir que mais danos aos sistemas não ocorram, mas também para garantir uma investigação ágil para localizar os responsáveis pelo ato.

Fontes: Business Insider, Motherboard