Hackers invadem webcams de mulheres e publicam seus vídeos no YouTube

Por Redação | 16 de Agosto de 2015 às 11h00

Esta notícia não é bem uma novidade, mas ainda causa espanto e indignação: hackers estão invadindo a webcam de mulheres e publicando sua intimidade no YouTube. Há pelo menos dois anos, já temos noticiado casos de invasão de privacidade por meio de câmeras desprotegidas de PCs e notebooks, e um novo estudo do grupo Digital Citizens Alliance mostra que a atividade criminosa ainda acontece na internet, inclusive com vídeos na plataforma do Google.

O grupo de especialistas em segurança na internet divulgou o relatório na última conferência Black Hat, evento anual que debate a segurança de computadores desde 1997, e revela que esses hackers, também conhecidos como "ratters", utilizam trojans de acesso remoto chamados RATs (Remote Acess Trojans) para invadir as máquinas das vítimas. Assim que conseguem, controlam suas webcams e gravam a intimidade de diversas mulheres, sem que elas percebam. Depois, o conteúdo é selecionado e divulgado no YouTube buscando visibilidade para os grupos que coordenam as ações, além de possíveis ganhos com publicidade relacionada.

Agora, o Citizens Digital Alliance pressiona o Google para que a gigante, dona do YouTube, controle mais ativamente esse tipo de publicação criminosa, já que também pode invadir a privacidade de crianças.

Enquanto os ratters continuam praticando crimes virtuais livremente por aí, é possível se proteger tomando algumas medidas, como atualização de antivírus, a desativação da webcam na BIOS, ou simplesmente cobrir a webcam com acessórios específicos. Saiba mais sobre como proteger sua webcam nesta matéria publicada aqui no Canaltech.

Fonte: Pplware