Hacker põe à venda dados de mais de 273 mil usuários de site pornô

Por Redação | 04 de Abril de 2016 às 10h06

Os dados de mais de 273 mil usuários estão à venda na dark web, conforme relata o site português Pplware. Segundo a página, as informações foram obtidas por um hacker a partir de um site de conteúdo pornô e contêm muito material confidencial, desde e-mails e IPs a nomes reais, endereços residenciais, senhas e outros dados considerados sensíveis.

A oferta do material está disponível no site Dream Market Dark Web e de acordo com o hacker TheNeoBoss, o suposto responsável pelo ataque, as informações foram retiradas "diretamente da fonte", os sites da rede Paper Street Media. Segundo ele, uma brecha foi encontrada dentro do portal Team Skeet — considerado um dos maiores do ramo do entretenimento adulto nos Estados Unidos — e, a partir disso, foi possível obter dados de usuários de outros serviços do grupo.

O hacker está pedindo 0,96 bitcoins pelo pacote de dados, o que corresponde a algo próximo de US$ 400. E ele afirma que o comprador pode compartilhar e revender o conteúdo, o que pode complicar ainda mais a situação, já que isso faria com que a situação realmente saísse de controle. Afinal, como você vai saber quem tem acesso aos seus dados?

TheNeoBoss detalha ainda que, junto com as informações pessoais oferecidas, o pacote conta também com 50 mil credenciais de acesso a outros sites pornôs da Paper Street Media, 468 linhas de registro com detalhes de geolocalização dos logins realizados e outras 426 mil linhas de registros de autenticação falhadas.

Hacker venda dados

A rede nega que um ataque dessa proporção tenha acontecido em seus sistemas recentemente, afirmando que o único problema de segurança registrado em sua história foi em 2008. E até mesmo essa falha foi, segundo a companhia, resolvida em pouquíssimo tempo. Porém, o hacker fez alterações no layout do Team Skeet, o que mostra que ele realmente invadiu o banco de dados da companhia.

De acordo com TheNeoBoss, o primeiro ataque à Paper Street Media foi feito como uma forma de alertar a companhia sobre suas falhas de segurança em uma tentativa de fazer a empresa abrir os olhos para o risco que corria. No entanto, o hacker diz ter sido ignorado e, por isso, decidiu ser a ameaça que ele próprio alertou, invadindo o site para roubar informações e vendê-las na dark web.

Via: Pplware

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.