Globoplay: hackers enviam notificação a usuários do serviço

Por Felipe Demartini | 17 de Maio de 2020 às 10h52
globo

Usuários do Globoplay foram surpreendidos na madrugada deste domingo (17) com uma notificação que informava sobre uma suposta invasão hacker na plataforma. Na mensagem, enviada em massa para todos que possuem o app do serviço de streaming instalado e ativaram os alertas para a plataforma, o grupo OurMine assume a autoria do ato e chega a deixar um e-mail de contato.

Na mensagem, os hackers afirmam que os interessados podem os contatar para uma “melhor segurança” e ainda deixam uma hashtag, #GloboHack, que chegou a aparecer entre os assuntos mais comentados do Twitter na madrugada de domingo. O nome do próprio Globoplay também acumulou, rapidamente, milhares de citações enquanto os usuários compartilhavam capturas de tela com a notificação e questionavam sobre o ocorrido.

Posicionamento do Globoplay

O ocorrido foi confirmado pela própria emissora cerca de uma hora depois, em nota na qual informava que nenhum de seus sistemas internos foi invadido. De acordo com a Globo, pelo Twitter, a falha foi localizada em uma empresa parceira, responsável pelas notificações push enviadas aos usuários da plataforma, e que a intrusão não resultou no comprometimento de dados de assinantes ou utilizadores gratuitos do aplicativo.

Ainda no pronunciamento oficial, o canal afirma que toda a base de clientes do Globoplay recebeu as notificações, sem nenhum tipo de individualização, e tranquilizou a todos sobre a utilização do app, pedindo desculpas. A emissora disse que não há necessidade de troca de senhas ou desinstalação do software, mas pediu cautela quanto ao clique em alertas relacionados ao OurMine, que levavam ao site do grupo. Uma notificação também foi enviada à base de utilizadores, mesmo meio utilizado pelos hackers para anunciar a invasão.

Sobre o grupo de hackers OurMine

O OurMine é um grupo de hackers que atua, pelo menos, desde 2016, tendo ganhado reconhecimento principalmente pela intrusão em contas do Twitter e outras redes sociais de celebridades, empresas e estúdios de cinema. Entre os que já foram atingidos pelas atividades estão Mark Zuckerberg, Netflix, o time de futebol Barcelona e a Marvel. Em um dos casos mais notórios, em 2017, realizou invasões em massa a perfis no YouTube, alterando descrições de vídeos de criadores famosos com o aviso de que estariam realizando testes de segurança na plataforma.

Fonte: Globoplay (Twitter)  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.