FBI e CIA concordam que Rússia hackeou as eleições para beneficiar Trump

Por Redação | 19 de Dezembro de 2016 às 14h08

Na semana passada, a Agência Central de Inteligência Civil do Governo dos Estados Unidos, mais conhecida pela sigla CIA, divulgou um relatório dizendo ter concluído que a Rússia havia coordenado ataques cibernéticos para interferir nas eleições presidenciais dos EUA e beneficiar o candidato eleito Donald Trump.

Anteriormente, o presidente Barack Obama já havia pedido uma investigação sobre o assunto, mas apenas agora a Agência Federal de Investigação do país (o famoso FBI) disse concordar com a avaliação da CIA, assim como o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional.

De acordo com informações do Washington Post, o diretor do FBI, James Comey, endossou a avaliação da CIA juntamente com o Diretor da Inteligência Nacional dos Estados Unidos, James Clapper. Isso significa que as três principais agências de inteligência do país estão de acordo em relação ao caso.

"Nós três concordamos que as nossas organizações, juntamente com outras, precisam se concentrar em revisar completamente este assunto que tem sido dirigido pelo presidente Obama e que está sendo conduzido pelo Diretor de Inteligência Nacional", disse John Brennan, diretor da CIA.

A investigação da CIA descobriu que hackers do governo russo tinham como objetivo ajudar Trump a ganhar as eleições. Esses ataques não tentaram manipular os resultados eleitorais diretamente, mas os hackers conseguiram roubar dados tanto do partido republicano quanto dos democratas, mas apenas o último grupo teve os dados divulgados publicamente.

Detalhes do relatório da CIA sobre a investigação ainda são mantidos em sigilo, mas Donald Trump já havia dito que não tem nada a ver com o envolvimento dos russos nas eleições norte-americanas.

Via Washington Post