Coreia do Norte é acusada de realizar ciberataques à Coreia do Sul (de novo)

Por Redação | 14 de Março de 2016 às 10h00

Enganou-se quem acreditava que a Coreia do Norte iria deixar de incomodar os outros após anunciar testes com uma bomba de hidrogênio ou de fazer lançamentos de foguetes de longo alcance quando todo mundo disse para ela não fazer isso. Kim Jong-Un não conhece limites e, desta vez, ele decidiu incomodar seus vizinhos (e inimigos) da Coreia do Sul com uma nova série de ataques hacker.

O governo sul-coreano revelou que o país ao norte vem intensificando o número de ciberataques, incluindo uma recente invasão de smartphones usados por 40 oficiais responsáveis pela segurança nacional da Coreia do Sul. Mais do que isso, a denúncia afirma ainda que os norte-coreanos tentaram invadir, sem sucesso, o sistema de controle das linhas férreas a partir de ataques a contas pessoais dos funcionários da empresa responsável pelo transporte público.

Em contrapartida, a Coreia do Norte nega as acusações e afirma que tudo não passa de uma estratégia de seus rivais para justificarem suas próprias controvérsias. Segundo a alegação, a Coreia do Sul inventou toda essa história para poder aprovar uma nova lei antiterrorismo que permitiria ao governo monitorar e espionar seus cidadãos. Levando em consideração que o partido de Kim Jong-Un também tem um sistema assim e não faz a menor questão de esconder isso, o argumento é bastante válido.

Coreia do Norte

De qualquer forma, o governo em Seul está alerta para qualquer nova ameaça cibernética vindo de Pyongyang. A Coreia do Norte é conhecida por recrutar hackers para realizarem esses tipos de ataques — por mais que negue veementemente esse tipo de prática. A situação que sempre foi muito tensa entre os dois vizinhos, ficou ainda mais complicada neste ano após o já citado teste com bomba de hidrogênio e o lançamento de um foguete de longo alcance. Como se não bastasse, os Estados Unidos enviaram forças armadas à península para ajudar a Coreia do Sul no que for preciso — com direito até mesmo a um porta-aviões — e isso apenas deixou as coisas ainda mais críticas.

Pode ser que todo esse movimento geopolítico, digno de uma partida de War, tenha uma origem um pouco anterior aos eventos citados. Como o site Venture Beat relembra, os EUA acusam a Coreia do Norte de realizar ciberataques à Sony Pictures em 2014 por conta do lançamento do filme A Entrevista. Na época, centenas de e-mails vazaram — incluindo alguns bem comprometedores —, além de filmes completos e outras informações sensíveis.

Via: Venture Beat, Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.