Confira empresas e órgãos públicos brasileiros afetados pelo ataque hacker

Por Patrícia Gnipper | 12 de Maio de 2017 às 18h20

A sexta-feira (12) começou pegando fogo. Hackers disseminaram um ransomware pela Europa, bloqueando o acesso a computadores de grandes empresas e, até mesmo, de hospitais. Para liberar o acesso, os usuários precisariam pagar uma quantia equivalente a 300 dólares por cada computador atingido — do contrário, os bandidos deletarão todos os arquivos, que foram roubados e criptografados.

Monitoramento em tempo real da Intel mostra países que já foram afetados pelo ransomware (Reprodução: Divulgação)

Monitoramento em tempo real da Intel mostra países que já foram afetados pelo ransomware WannaCrypt (Reprodução: Divulgação)

Como se esse ataque não fosse grave o bastante, no início da tarde ficamos sabendo que o malware já havia chegado ao Brasil, afetando máquinas do Tribunal de Justiça de São Paulo. O órgão ordenou que todos os funcionários desligassem imediatamente seus computadores enquanto uma solução não é implementada.

Computadores do TJSP foram afetados pelo ransomware (Reprodução: Divulgação)

Além do Tribunal, outras empresas e órgãos públicos brasileiros também foram afetados pelo ataque, que já chegou a pelo menos 74 países em todo o mundo. Além de desligar todos os computadores (afetados, ou não), os websites do TJSP e do Ministério Público chegaram a sair temporariamente do ar.

Comunicado oficial do INSS de Brasília a seus superintentendes, gerentes e chefes (Reprodução: Divulgação)

Os computadores do INSS do Ceará , Rio de Janeiro e Brasília também estão desligados após uma suspeita de invasão, e o atendimento à população foi interrompido indefinidamente - sendo que os atendimentos agendados para este dia serão remarcados. Para “preservar os dados pessoais dos cidadãos brasileiros”, o órgão decidiu interromper suas atividades até que o problema esteja normalizado.

Comunicado enviado pela Petrobras a todos os seus colaboradores (Reprodução: Divulgação)

A Petrobras também adotou medidas de segurança para garantir a integridade de sua rede. Um alerta geral foi emitido a todos os colaboradores da empresa recomendando salvar todos os arquivos, reiniciar a rede. Alguns colaboradores mais desesperados chegaram a desconectar os cabos de rede das máquinas, cortando o acesso à Internet.

Outro site que foi retirado do ar nesta tarde foi o do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, mesmo que nenhuma máquina do TJ tenha sido afetada, por enquanto. As medidas foram tomadas por precaução. Até o momento, os seguintes sites públicos estão fora do ar: Petrobras, INSS (em todo o Brasil), TJSP, Ministério Público de São Paulo, TJRN e TJSE.

Continue acompanhando a nossa cobertura, com as informações mais quentes da repercussão do ataque do ransomware no Brasil!

Com informações do G1 e Época.