Como saber se o ataque hacker global afetou o seu computador ou celular?

Por Redação | 12 de Maio de 2017 às 19h08
photo_camera scyther5

A sexta-feira (12) está sendo marcada por um ataque hacker global que já atingiu 74 países com 45 mil ataques, segundo a Kaspersky Lab. O Brasil foi um dos afetados, registrando problemas nos sistemas na Previdência Social, Ministério do Trabalho, Petrobras e Telefônica.

De acordo com as informações, os hackers invadiram computadores de todo o mundo utilizando um ransonware, que tem a capacidade de bloquear arquivos até que seja feito o pagamento de resgates estipulados pelos autores do crime. Segundo o Centro Criptológico Nacional, serviço de inteligência de segurança das tecnologias da informação da Espanha, o ciberataque afeta "os sitemas Windows cifrando todos seus arquivos e os das unidades de rede que estejam conectados".

Diante de todo o ocorrido, milhões de pessoas ficaram inseguras sobre a influência dos hackers sobre suas próprias máquinas. Pensando nisso, é necessário saber o que está por trás do ataque global e de que forma é possível garantir a segurança dos computadores.

O vírus ataca smartphones?

Primeiramente, é necessário que você saiba que o WannaCryptor, vírus disseminado, ataca apenas computadores com Windows, por isso não há riscos para smartphones e tablets. Apesar disso, o nível de abrangência do ataque tem sido realmente gigantesco. Isso aconteceu porque os hackers aproveitaram uma falha de segurança do sistema operacional da Microsoft, que havia sido corrigido no dia 14 de março.

Vale destacar que o ransonware afeta, principalmente, redes de empresas que não atualizaram o Windows nos últimos dois meses. Segundo a Microsoft, a vulnerabilidade é alta, especialmente porque o vírus tem grande capacidade destrutiva. Além disso, a companhia afirma que a brecha era conhecida por um grupo de espionagem que tem associação com a Agência de Segurança Nacional dos EUA.

O meu computador pode ser afetado pelo ataque?

Segundo os especialistas, computadores que não tenham passado pela atualização do Windows, disponibilizada em março pela Microsoft, estão vulneráveis. Dessa forma, é altamente recomendável que os usuários do Windows 7, 8.1 ou 10 mantenham o sistema operacional com firewall ativado e atualizações automáticas. Para saber o status do computador, acesse o Painel de Controle e verifique se há atualizações disponíveis.

Como o vírus está se espalhando e o que fazer para me prevenir?

Apesar de ainda não haver certeza sobre como a disseminação começou, tudo indica que o vírus tenha acessado as redes por e-mails contendo links ou documentos maliciosos. Como em qualquer outro ciberataque, o ideal é manter o sistema operacional do computador atualizado, não abrir arquivos suspeitos (inclusive do Microsoft Office) enviados por e-mail e manter o backup, cópias de segurança, da máquina em dia.

Para Leandro Malandrin, gerente de consultoria da Logicalis, "essas recomendações são básicas, mas muito importantes, pois previnem uma série de ameças. Para se prevenir, as empresas precisam investir em uma combinação de pessoas e processos, ou seja, conscientizar os usuários dos riscos de acessar arquivos desconhecidos e adotar soluções que contribuam para a segurança da informação".

O que fazer caso o meu computador tenha sido afetado?

Caso seu computador tenha sido infectado, a orientação é que seja feita a reformatação do desktop e a reinstalação completa do Windows. Infelizmente até o momento não há como recuperar os arquivos que foram criptografados pelo WannaCryptor.

Com informações de G1, O Globo

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.