Ataque hacker compromete sistemas de comunicação em todo o mundo

Por Redação | 12 de Maio de 2017 às 13h14
photo_camera scyther5

Um ataque hacker em grande escala atingiu uma série de companhias na Europa e outros países do mundo na manhã desta sexta-feira (12). Os alvos foram empresas dos ramos de infraestrutura e do mercado financeiro, com tentativas de ransomware atingindo sistemas internos. Além do Velho Continente, organizações dos Estados Unidos também teriam sido atingidas.

O foco principal foi a Espanha, com nomes como a Telefonica, maior telecom do país, e bancos como Santander e BBVA sendo os principais alvos. Hospitais, órgãos públicos e companhias do setor de gás do país também teriam sido atingidas, em uma onda de ataques que teve reflexos em outros 11 países, chegando até mesmo aos Estados Unidos.

De todas as companhias atingidas, entretanto, a Telefonica teria sido a maior vítima. Segundo comunicado oficial da companhia, a proliferação de uma praga em suas redes internas teria levado um ransomware a se instalar nos computadores de um número limitado de funcionários. Golpes desse tipo “sequestram” os computadores da vítima e impedem completamente seu uso. Em troca, os hackers estariam exigindo o pagamento de um valor não informado em Bitcoins.

Outros relatos indicam que funcionários da Vodafone, outra grande telecom com atuação na Europa, bem como da Gas Natural e da Iberdrola, ambas do setor de gás, teriam sido instruídos a não ligarem seus computadores quando chegaram ao trabalho. Outros, que já estavam em expediente, tiveram de desconectar as máquinas da internet devido às suspeitas de infecção.

Entretanto, os golpes não teriam afetado o funcionamento da infraestrutura das companhias, com o fornecimento de serviços de telecomunicações e de gás funcionando normalmente durante a onda de ataques. As pragas também não teriam se proliferado para além das redes internas, com os usuários permanecendo seguros.

Fora da Espanha, também há relatos de ataques a hospitais públicos no Reino Unido, que também não afetaram o fornecimento dos serviços. De acordo com as autoridades, o ransomware usado seria uma variação do WannaCry, já utilizado em grandes campanhas de ataques no passado, sempre com foco nas redes internas e na obtenção de dinheiro por meio do bloqueio de arquivos corporativos.

As investigações ainda estão em andamento, mas as informações preliminares dão conta que o ataque teria se originado na China. Ainda não se sabe se o governo asiático teve participação nas tentativas. A hipótese de roubo de dados de usuários também teria sido descartada pelas autoridades espanholas.

Essa hipótese também foi deixada de lado pelo setor de tecnologia da própria Telefonica. Em declaração, o Chief Data Officer da empresa, Chema Alonso, afirmou que as notícias sobre o ataque estão sendo exageradas na imprensa e que o golpe, apesar de verdadeiro, não foi tão grave quanto os relatos fazem parecer.

Fonte: Reuters

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.