Anonymous invade banco de dados da Alerj e ameaça vazar dados

Por Joyce Macedo | 10 de Fevereiro de 2017 às 11h09

O grupo hacktivista Anonymous usou seu perfil brasileiro no Facebook para anunciar que está em posse de toda a base de dados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

"Enquanto analisamos as informações colhidas, disponibilizamos informações como logins e senhas para que cada um de vocês, células ou lone wolves, possam se juntar nas ações hackativistas contra o Estado criminoso que se tornou o Rio de Janeiro", diz a mensagem postada na rede social.

Os hackers disseram ainda que informações relevantes que forem encontradas na base de dados serão futuramente vazadas para a imprensa.

O ataque é uma demonstração de apoio aos servidores públicos e uma represália contra a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (CEDAE). O projeto de privatização começou a ser analisado na noite de ontem (09) pela Alerj e deve ser votado na próxima terça-feira (14).

Funcionários da CEDAE e servidores de outras áreas do estado realizaram uma vigília em frente à Alerj durante o inicio da votação. Eles alegam que a privatização irá prejudicar os funcionários e também a população de maneira geral.

A venda da CEDAE é uma condição imposta pela União para assinatura do plano de recuperação e servirá de garantia para a concessão de um empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao estado do Rio de Janeiro.

Onda de ataques

No início desta semana, o Anonymous Brasil já havia exposto dados do deputado Jorge Picciani, que foi eleito presidente da Alerj pela sexta vez. "Sabemos da ascensão política de Jorge Picciani no RJ e de seu ganho de força política dentro do partido de Eduardo Paes, e Sérgio Cabral (grandes responsáveis pela quebra do Estado do Rio)", argumentou o grupo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.