Lizard Squad afirma que ataques mostraram “incompetência” de Sony e Microsoft

Por Redação | 29 de Dezembro de 2014 às 14h29

Usuários do mundo todo se frustraram no dia de Natal ao não conseguir acesso aos serviços Xbox Live e PlayStation Network devido a um ataque hacker que afetou as redes da Microsoft e da Sony. Os usuários ficaram impossibilitados de jogar nos seus consoles e de acessar os serviços das empresas.

O golpe foi promovido pelo grupo hacker Lizard Squad, que assumiu a autoria do ataque DDoS (ataque de negação de serviço), resultando em um tráfego falso. O jornal The Daily Dot conversou com dois integrantes do grupo que explicaram por que realizaram a baixa no dia de Natal: “A Microsoft e a Sony são estupidamente retardadas, são literalmente macacos por detrás dos computadores. Eles teriam melhor sorte se tivessem contratado alguém que soubesse como prevenir estes ataques”.

Segundo os hackers Vinnie Omari e Ryan Cleary, uma das razões para promover o ataque foi provar para os usuários que eles pagam caro por serviços que não são realmente seguros.

“Se eu trabalhasse para Sony ou Microsoft e tivesse um orçamento substancial, eu conseguiria parar esses ataques. Compraria mais banda larga, equipamento específico e configurava-o corretamente. No fim das contas tudo não passa de conhecimentos de programação”, afirmou Cleary. Mas, segundo ele, as empresas não fazem esses investimentos.

A interrupção completa que afetou usuários de todo o mundo atingiu inclusive pessoas conhecidas. O criador do Megaupload, Kim Dotcom, conversou com os hackers pelo Twitter e fez uma proposta para eles pararem o ataque. “Quero jogar Destiny no XBOX Live. Eu dou a vocês acesso vitalício aos serviços do MEGA se vocês nos deixarem jogar. Tudo bem?”.

O grupo confirmou na conversa com o Daily Dot que aceitou a oferta de 3000 contas premium do serviço. Eles venderam 300 vouchers recebidos de Dotcom logo depois do ataque, isso rendeu ao grupo US$ 15 mil. No entanto, logo depois de receberem os comprovantes e Kim Dotcom confirmar pelo Twitter que o grupo tinha encerrado o ataque, o Lizard Squad reiniciou a ofensiva contra Microsoft e Sony.

O ataque pode ainda ter sido o maior da história. Segundo o Lizard Squad, unindo a ofensiva a Microsoft e Sony, o pico foi de 1,2 terabits por segundo, enquanto o recorde anterior tinha sido contra a Cloudflare em fevereiro e atingiu 400 gigabits por segundo. As empresas não se manifestaram ainda sobre as proporções do ataque.

O grupo Lizard Squad ficou famoso após assumir a autoria de diversos grandes ataques, entre eles contra a Blizzard e a PlayStation Network no início deste ano. Eles também assumiram o ataque que derrubou completamente a internet da Coreia do Norte na semana passada. O grupo tem visado ataques ao Vaticano e há meses planejava o ataque à Xbox Live e à PlayStation Network, sendo que os ataque executados neste Natal não foram surpresa – pelo contrário: o grupo havia alertado ambas as empresas de que estava preparando algo para a data havia, pelo menos, uma semana.

Um grupo hacker rival conhecido como Finest Plantel tentou parar o ataque às duas empresas, mas não obteve sucesso.

Os serviços da Sony e da Microsoft já foram restabelecidos e agora o grupo está focado em um ataque à rede de navegação anônima Tor. Os ataques de grandes proporções devem continuar agora que o grupo conseguiu fama com os últimos casos.

Fonte: http://www.dailydot.com/technology/lizard-squad-hackers/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.