Invasão de sistemas de entretenimento pode deixar aviões vulneráveis a ataques

Por Redação | 04 de Agosto de 2014 às 15h42
photo_camera Airbus

Se você é desses que ficam felizes ao viajar em um avião que tem um rico sistema de entretenimento e uma internet sem fio de qualidade, é melhor pensar duas vezes. O hacker e especialista em segurança digital Ruben Santamarta afirma ter obtido sucesso em tentativas controladas de invasão, que permitiram tomar o controle de sistemas de comunicação e direção de aeronaves a partir de falhas no firmware de plataformas sem fio disponíveis nestes veículos.

A descoberta, que será apresentada nesta semana durante o evento de segurança Black Hat, mostra como ele foi capaz de obter acesso aos sistemas de aviônica e rádio de diversas fabricantes dessa indústria, tudo a partir de sistemas de comunicação wireless. É uma ameaça real, segundo ele, e que poderia muito bem ser utilizada para fins terroristas.

Por isso mesmo, Santamarta afirma ter tentado, desde abril, contato com diversas empresas que atuam no segmento. Todas, segundo ele, minimizaram os alertas, afirmando que o risco de um ataque desse tipo é mínimo, ou até mesmo impossível. Para elas, apenas o acesso físico aos equipamentos poderia gerar um efeito desse tipo, e esse sim é um aspecto com o qual as fabricantes tomam extremo cuidado.

O hacker admite que não testou sua descoberta em circunstâncias reais, mas em ambiente controlado, diz que obteve pleno sucesso após o acesso às redes de bordo, algo possível para qualquer passageiro. Na realidade, porém, um golpe desse tipo seria um pouco mais complicado, mas a simples possibilidade de que ele exista já deveria ser levada em conta pelos órgãos responsáveis. Afinal de contas, nunca se sabe até que ponto chegou a sofisticação dos criminosos virtuais.

É justamente pensando nisso que Santamarta não vai apresentar seus achados com todos os detalhes durante o Black Hat. O temor, claro, é que a boa intenção de uma demonstração de segurança desse tipo possa colocar os verdadeiros hackers maliciosos para trabalhar, buscando formas de invadir os sistemas de aviões e efetivamente causando danos materiais – e até mesmo mortes – a passageiros e funcionários de empresas aéreas.

De acordo com as informações do jornal americano Chicago Tribune, o tipo de falha de segurança apontada pelo especialista já poderia ter sido sanado pelos fabricantes, por se tratarem de sistemas de segurança simples. Sua implementação, porém, parece ter sido negligenciada e, nas palavras de Santamarta, existem até mesmo alguns dispositivos “totalmente abertos” a ataques.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.