Hackers do Anonymous assumem ataque contra PayPal

Por Redação | 09 de Dezembro de 2013 às 13h40

Treze membros do grupo hacktivista Anonymous assumiram publicamente a autoria de um ataque de negação de serviço realizado em dezembro de 2010 contra o PayPal. A ação foi feita em resposta à suspensão do processamento de doações para o WikiLeaks, que na época, havia divulgado uma série de documentos do governo dos EUA.

Entre as revelações feitas pelo site estavam a morte de milhares de civis pelas mãos de militares durante a Guerra do Iraque e uma série de manobras diplomáticas americanas. Outras companhias, como a MasterCard, também suspenderam o serviço de doações ao WikiLeaks na ocasião, e acabaram sendo alvo de ataques da mesma maneira.

De acordo com reportagem do CNET, todos os envolvidos assumiram a autoria de crimes de danos a computadores privados, enquanto três deles também se apresentaram sobre acusações de conspiração. Caso não violem os termos do acordo firmado em segredo com a justiça norte-americana, os hackers poderão ter suas sentenças reduzidas.

A procuradora responsável pelo caso, Melinda Haag, voltou a afirmar em comunicado que a suspensão das relações entre WikiLeaks e PayPal têm relação com o vazamento de documentos, mas também com as violações de termos de serviço do site de pagamentos. Ela também lembrou declarações de Julian Assange que, na época, afirmou que a medida seria uma tentativa de estrangular o site.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.