Golpe usa notícia falsa da morte de Michael Schumacher

Por Redação | 27.06.2014 às 19:23

A ESET, fornecedora de soluções de segurança da informação, faz um alerta sobre um novo golpe que está sendo espalhado pelo Facebook. Trata-se de uma ação em que os scammers (golpistas online) usam a falsa notícia de que o ex-piloto de Fórmula 1 e heptacampeão Michael Schumacher teria morrido.

O piloto alemão sofreu um acidente em uma estação de esqui no final do ano passado e passou quase seis meses em coma induzido, até recentemente ter começado a despertar tendo alguns momentos de consciência, mas ainda passando por um intensivo tratamento médico.

De acordo com a ESET, o esquema dos golpistas funciona da seguinte maneira: quando o usuário clica na falsa notícia da morte através do feed de notícias do Facebook, ele é direcionado para uma página externa com um vídeo. Quando tenta executar a imagem, o usuário recebe um alerta de que para visualizá-lo é preciso compartilhar o vídeo com os amigos.

Golpe mostra notícia falsa sobre a morte de Schumacher no Facebook

Por meio desse compartilhamento, o objetivo dos scammers é disseminar para o maior número possível de pessoas. Dessa forma, o tráfego do site em que ele está postado aumenta consideravelmente, tendo como consequência o aumento das receitas da página da web em que o vídeo está hospedado.

O conselho dos especialistas da ESET para quem tenha clicado no link ou compartilhado o vídeo com os amigos é de excluir imediatamente o post de sua linha do tempo no Facebook. "Casos como esse, aliás, servem de alerta para os internautas. As pessoas precisam estar muito atentas para não compartilhar ou clicar em links desconhecidos", declarou o Country Manager da ESET Brasil, Camilo Di Jorge.

"Nessa situação específica, o usuário deveria desconfiar de que a notícia da morte não estava divulgada em nenhum veículo de imprensa tradicional. Mais do que isso, se fosse realmente uma notícia verdadeira, o site não exigiria que o usuário compartilhasse a informação para poder acessá-la", acrescentou.