Coreia do Norte tem internet parcial após mais de 9 horas offline

Por Redação | 23.12.2014 às 14:22

A Coreia do Norte passou por vários problemas de instabilidade com a internet nos últimos dias, mas nesta segunda-feira (22) o problema teve maiores proporções e o país passou 9 horas e 31 minutos completamente desconectado, no que pode ser um ataque cibernético às redes do país.

O país possui problemas constantes de quedas de conexão devido, em parte, à infraestrutura precária de rede. No entanto, especialistas creditam a instabilidade de ontem a algum problema diferente. “A situação agora é que eles estão totalmente off-line… isso não é normal para eles”, afirmou Doug Madory, da Dyn Research, à Bloomberg. Já ao New York Times ele afirmou que “as redes deles estão sob pressão, em um padrão consistente com um ataque DDoS em seus roteadores”.

“Eu nunca vi tanta instabilidade e paralisação constante nos domínios .kp da Coreia do Norte. Normalmente há quedas isoladas, não problemas de conectividade contínua. Eu não ficaria surpreso se eles estivessem sofrendo algum tipo de ataque”, disse Mardory ao site North Korea Tech.

As informações atualizadas hoje (23) pela equipe do Dyn Research para a BBC afirmam que a Coreia no Norte já teve sua internet parcialmente restabelecida, após a interrupção de mais de 9 horas. Os sites da Agência Central de Notícias Coreana e do jornal Rodong Sinmun já estão funcionando novamente, no entanto, diversos outros sites do país ainda estão offline. Os pesquisadores ainda alertaram que a internet da Coreia pode “ser parcial e potencialmente instável”.

A queda total da internet no país aconteceu dois dias após o FBI responsabilizar o regime de Kim Jong-Un pela invasão da Sony Pictures. Os Estados Unidos pediram ajuda à China para impedir que a Coreia do Norte continuasse os ataques hackers, fazendo com que o país seja o principal suspeito do ataque DDoS que derrubou a internet norte-coreana.

A suspeita também é devido às declarações do presidente Barack Obama, que prometeu que os Estados Unidos iriam responder “de forma proporcional” ao ataque. Para Obama, o ataque hacker não foi um “ato de guerra”, mas sim um “ato de cibervandalismo”.

Após o pedido norte-americano, a China afirmou que apenas iria investigar o papel da Coreia do Norte no ataque, uma vez que os dois países mantêm relações comerciais. A própria Coreia do Norte se ofereceu para ajudar nas investigações para poder provar que não está envolvida no ciberataque.

A Coreia do Norte possui registrados 1.024 endereços IP, enquanto os Estados Unidos possuem bilhões. Muitas das redes norte-coreanas se apoiam na estatal chinesa de telecomunicações, a China Unicom.

Fonte: http://gizmodo.uol.com.br/coreia-norte-fora-ar/http://gizmodo.uol.com.br/parte-da-internet-da-coreia-do-norte-voltou-a-funcionar/