Por falta de verba, 739 universidades podem ficar sem conexão com a internet

Por Redação | 01.08.2016 às 19:31

Um dos problemas orçamentários do país está ligado aos recursos destinados à conexão com a internet nas universidades. Como nem o Ministério da Educação nem o da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações liberaram a verba prevista para este ano, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa já está preparando a lista das primeiras instituições de ensino superior que ficarão sem conexão.

De acordo com Michael Stanton, diretor de pesquisa e desenvolvimento da RNP, o órgão tem custos anuais de R$ 250 milhões. O problema é que no ano passado o valor caiu para R$ 136 milhões, e até agora o repasse não foi feito. “Do custo anual, cerca de 51% é gasto com conectividade e dentro disso os maiores custos são as conexões do interior. No momento, estamos tocando com sobras de caixa de 2014. A partir de setembro, se nada mudar, teremos que começar a proceder com as desconexões”, explicou.

Por conta da falta de recursos, o Conselho Nacional dos Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) se manifestaram, descrevendo sua preocupação com os cortes da Rede. De acordo com os órgãos, a situação é de grande risco, já que as conexões poderão ser descontinuadas a partir de setembro, atingindo 739 universidades e institutos federais de ensino.

Diante de toda a polêmica, o ministro Gilberto Kassab afirmou que “é preciso ajudar o governo a refletir sobre essa redução e buscar soluções para corrigir essa distorção”. Além disso, o MCTIC garantiu que o orçamento da RNP será "o tema da rodada de solicitação de créditos, que será realizada em data a ser definida brevemente [...]. O MCTIC considera que os repasses financeiros a serem efetuados ainda em 2016 permitirão a continuidade dos projetos em andamento. Logo, não haverá prejuízos para as Universidades e demais instituições atendidas pela rede”, completou o comunicado.

Fonte: Convergência Digital