Plano Nacional de IoT priorizará formação de mão de obra especializada

Por Redação | 23 de Novembro de 2016 às 12h25

O Plano Nacional de Internet das Coisas (IoT) que está sendo preparado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações terá como uma das prioridades a formação de mão de obra especializada, segundo afirmou o diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital, José Gontijo, durante evento, em Brasília, na terça-feira, 22. "É preciso mudar o perfil do trabalhador brasileiro, para que ele esteja preparado para as mudanças que vêm por aí", ressaltou.

Segundo ele, a construção do plano envolve um amplo debate com todos os atores, além de uma convergência com outros países. "Estamos trabalhando para garantir um ecossistema favorável ao desenvolvimento e à implantação de soluções de IoT no Brasil", garantiu.

Outra discussão relevante para a elaboração do Plano Nacional de IoT, de acordo com Gontijo, é a definição clara do papel do Estado em cada etapa do processo. O diretor também defendeu a participação efetiva de centros de excelência, que "batam na porta" de produtores de diversas áreas para vender soluções tecnológicas. "É importante induzir a adoção dessas inovações, não basta elas estarem disponíveis", enfatizou.

Com lançamento previsto para março de 2017, o Plano Nacional de IoT é um documento que pretende estabelecer como as empresas serão estimuladas a investir em projetos relacionados à Internet das Coisas no Brasil. A ideia, ainda segundo Gontijo, é que o plano seja um documento aberto, em constante revisão. "Qualquer política pública engessada está fadada ao fracasso - até porque o mercado não é engessado", concluiu.

Fonte: ComputerWorld

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.