Kassab assegura que universidades ganharão recursos para não ficar sem internet

Por Redação | 02.08.2016 às 16:04
photo_camera Divulgação

Na noite desta segunda-feira (1º), publicamos aqui no Canaltech a notícia de que quase 740 universidades em todo o Brasil poderiam ficar sem internet porque o governo não liberou uma nova verba a essas instituições. Agora, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou que os recursos destinados ao setor serão disponibilizados o mais breve possível.

Segundo Kassab, o MCTIC deve liberar R$ 36 milhões do orçamento previsto da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e, assim, espera superar o risco de desconexão da internet de universidades e institutos federais de ensino. O objetivo atual do ministério é buscar a garantia de pelo menos a parcela que cabe à pasta nos repasses à RNP, o que significa liberar os R$ 36 milhões previstos, do bolo de R$ 136 milhões que constam no Orçamento de 2016, mas incluem aí cerca de R$ 100 milhões do Ministério da Educação.

Como até agora não houve nenhum repasse, a RNP discutiu internamente que o corte se daria nas conexões, que representam cerca de 51% do custeio, e já preparava a relação das primeiras universidades a ficarem sem internet caso o dinheiro do orçamento continue bloqueado.

A confirmação de que a parcela será liberada só virá em rodadas de negociação sobre liberações de orçamento que ainda acontecem até o próximo mês. Setembro é o prazo que a RNP prevê como limite, tendo em vista o que ainda tem de caixa. A partir daí, teria que cortar gastos e o principal alvo são as conexões em universidades do interior.

"De maneira alguma [vamos cortar a verba para as universidades], tudo tem solução, o diálogo existe. E existe um compromisso nosso de que será resolvido. A questão está resolvida, posso afirmar. É uma decisão de governo", assegurou o ministro.

Em razão dos cortes no orçamento da instituição, a RNP estuda o corte da conexão de alta velocidade de até 739 universidades do interior de vários estados brasileiros. O órgão é ligado ao MCTIC, mas recebe também verbas dos ministérios da Saúde, da Defesa e da Educação, recursos também contingenciados. Segundo Michael Stanton, diretor de pesquisa e desenvolvimento da RNP, a entidade tem custos anuais de até R$ 250 milhões.

Fontes: Convergência Digital, TELETIME