Siga o @canaltech no instagram

Governo está analisando possibilidades de privatização dos Correios

Por Rafael Arbulu | 01 de Maio de 2019 às 17h10
Divulgação

Nesta terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro esteve em reunião junto ao Secretário de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, onde a pauta discutida foi a eventual privatização dos Correios – hoje, em gestão do governo –, segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

De acordo com o periódico, que cita o próprio ministério, o objetivo para a oferta é o de “desonerar o cidadão”. Pelo seu perfil oficial no Twitter, a pasta ainda correlacionou os problemas vividos pela empresa estatal a casos de corrupção envolvendo o seu nome em gestões governamentais passadas.

“Decisões equivocadas causaram um rombo de mais de R$ 11 bilhões no fundo de pensão dos funcionários dos Correios, o Postalis”, disse o secretário. Ainda segundo a pasta, apenas o plano de saúde dos funcionários da empresa já criou um “rombo de R$ 3,9 bilhões”.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os Correios contam, hoje, com pouco mais de 100 mil funcionários, mas passa por um desequilíbrio de contas que fez com que a empresa tomasse medidas consideradas impopulares, como o aumento no valor geral do frete, em janeiro de 2009. O ministério mais uma vez atribuiu tais medidas aos casos de corrupção que supostamente minaram a imagem pública e as contas da empresa.

A privatização de empresas estatais é um mantra repetido por Jair Bolsonaro desde o início da campanha presidencial que o levou ao cargo, em outubro de 2018. À época, o então candidato atribuía “grandes chances” de a empresa ser privatizada, sob o discurso de liberdade de mercado e atuação mais aberta de empresas privadas do setor logístico. Atualmente, os Correios detém o monopólio na entrega de cartas e correspondências, mas pacotes e encomendas maiores podem ser despachadas e entregues por outras companhias.

Na área monopolizada, porém. os Correios registraram queda de serviço: de um índice de 8,9 bilhões de correspondências entregues em 2012, a empresa atingiu a marca de “apenas” 5,7 bilhões em 2018. Financeiramente falando, os Correios registraram lucro de R$ 667 milhões em 2017. Em 2018, o lucro foi de R$ 161 milhões, mas amargaram prejuízos bilionários em anos anteriores.

Fonte: Folha de São Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.