Donald Trump vai se reunir com líderes de tecnologia para modernizar Governo

Por Redação | 19 de Junho de 2017 às 10h50

O presidente norte-americano Donald Trump inicia nesta segunda-feira (19) uma série de encontros entre representantes do Governo e líderes da indústria de tecnologia em busca de maneiras de acelerar a modernização da administração pública. As reuniões devem estreitar os laços entre a Casa Branca e empresas como Apple, Google, Microsoft e Amazon.

Trata-se do Conselho Americano de Tecnologia, um grupo que vem sendo estudado desde o início da administração Trump e que vem como uma continuidade de medidas de Barack Obama. Como na gestão anterior, o atual presidente dos EUA acredita que a burocracia de órgãos oficiais dificulta a vida dos cidadãos no acesso às informações, algo que vai contra a velocidade atual das relações em um mundo digital.

Em pauta estarão discussões sobre inteligência artificial, uso de aplicativos, armazenamento na nuvem e a digitalização de serviços governamentais. Um dos pontos a serem discutidos, por exemplo, é a facilitação no acesso dos cidadãos a registros médicos, processos na Justiça ou dados pessoais, como forma de facilitar a utilização de políticas públicas para veteranos ou pessoas carentes. O uso da tecnologia em fiscalizações relacionadas à imigração ou uso de recursos federais também estão em pauta.

Entre os nomes presentes nesta primeira rodada de reuniões estão Jeff Bezos, CEO da Amazon; Eric Schmidt, presidente da Alphabet; Tim Cook, presidente executivo da Apple; Satya Nadella, CEO da Microsoft; e outros executivos de alto escalão da Adobe, Intel, IBM, Qualcomm, SAP, MasterCard, entre outros. Apenas nesta segunda-feira, o presidente Trump e seu vice, Mike Pence, também participam dos encontros, que depois, serão tocados por Christopher Liddell, diretor de iniciativas estratégicas da Casa Branca e um dos braços-direitos do comandante-em-chefe na criação de políticas públicas digitais.

Do lado das empresas de tecnologia e também dos investidores, que estarão presentes nos encontros, estão dois interesses primordiais. O primeiro é uma aproximação com o Governo para venda de tecnologia e participação na implementação das soluções. O segundo é a continuidade nas conversas com relação à privacidade digital, com o trabalho ao lado de Trump sendo visto como uma forma, também, de facilitar o acesso em caso de notificações judiciais ou necessidade de entrega de dados para investigações federais, um motivo de discussões que já acontecem há meses.

Uma segunda rodada de discussões está marcada para o dia 22 de junho, com foco na Internet das Coisas – e, principalmente, sua segurança –, tecnologias de conectividade sem fio e redes 5G. Os participantes convidados nem sempre estarão presentes em todos os encontros e se dividirão em grupos de acordo com sua expertise e área de atuação, de forma a facilitar o avanço e a obtenção de soluções.

As conversas, entretanto, já sofreram duas baixas importantes antes mesmo de começarem. Elon Musk, CEO da Tesla Motors, recusou o convite para participar das discussões, ainda como forma de oposição à recusa dos EUA de se unir ao Acordo de Paris – algo que também levou à saída do diretor de um conselho de executivos formado por Trump. Mark Zuckerberg, do Facebook, também não teria concordado em participar, assim como a diretora de operações da rede social, Sheryl Sandberg.

Fonte: Recode

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.