Brasil é o 12º país com mais dados abertos no mundo

Por Redação | 04 de Dezembro de 2015 às 14h04

A Open Knowledge Internacional organiza anualmente o Índice Global de Dados Abertos, onde as nações são analisadas em alguns quesitos como disponibilidade e acessibilidade de dados em áreas de gastos governamentais, resultados de eleições, compras públicas, níveis de poluição, qualidade da água, posse de terras e dados do clima. No levantamento de 2015, o Brasil figura no 12º lugar, 14 posições acima do ano passado.

De acordo com o Índice Global de Dados Abertos 2015, cerca de 61% dos dados brasileiros analisados estão abertos. O primeiro lugar da lista ficou com a Tailândia, onde 78% dos dados estão disponíveis para consultas públicas, tornando-se o primeiro país fora da Europa a se posicionar entre os três primeiros colocados no levantamento, que teve início em 2013. O Reino Unido, com 76%, ficou na segunda colocação do índice, seguido pela Dinamarca, com 70%.

Para a Open Knowledge, os dados são considerados abertos quando qualquer cidadão de determinado país pode ter acesso a ele, utilizar, reutilizar e redistribui-lo, estando sujeito, no máximo, a exigência de creditar o conteúdo e compartilhar pela mesma licença. Com as informações em mãos, os desenvolvedores podem criar aplicativos que ajudam a população na administração da cidade, estados e até da nação. Ao realizar o cruzamento dos dados, é possível criar apps que demonstrem ao cidadão informações sobre linhas de ônibus, empresas reclamadas no Procon, informações sobre candidatos políticos eleitos, entre outras.

Assista Agora: Descubra o jeito certo de criar verdadeiros times de alta-performance e ter a empresa inteira focada em uma única direção.

Funcionando como um banco de dados do Governo Federal desde 2012, o Portal Brasileiro de Dados Abertos (dados.gov.br) é o centro para busca e acesso de dados abertos no Brasil. Atualmente, o site possui 1.052 conjuntos de dados com 8.582 recursos disponíveis para pesquisa e utilização pela sociedade, academia e empresários, por exemplo.

O ranking deu ao Brasil a nota máxima na abertura de informações sobre a legislação, estatísticas nacionais e resultado de eleições. Houve destaque no setor de compras públicas e orçamento do governo, indicando que esses dados estão plenamente disponíveis para a população. Mas, setores relacionados a registro e empresas, base de dados de localização e informações climáticas ainda enfrentam problemas.

Fonte: OKFN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.