Brasil é o 12º país com mais dados abertos no mundo

Por Redação | 04 de Dezembro de 2015 às 14h04

A Open Knowledge Internacional organiza anualmente o Índice Global de Dados Abertos, onde as nações são analisadas em alguns quesitos como disponibilidade e acessibilidade de dados em áreas de gastos governamentais, resultados de eleições, compras públicas, níveis de poluição, qualidade da água, posse de terras e dados do clima. No levantamento de 2015, o Brasil figura no 12º lugar, 14 posições acima do ano passado.

De acordo com o Índice Global de Dados Abertos 2015, cerca de 61% dos dados brasileiros analisados estão abertos. O primeiro lugar da lista ficou com a Tailândia, onde 78% dos dados estão disponíveis para consultas públicas, tornando-se o primeiro país fora da Europa a se posicionar entre os três primeiros colocados no levantamento, que teve início em 2013. O Reino Unido, com 76%, ficou na segunda colocação do índice, seguido pela Dinamarca, com 70%.

Para a Open Knowledge, os dados são considerados abertos quando qualquer cidadão de determinado país pode ter acesso a ele, utilizar, reutilizar e redistribui-lo, estando sujeito, no máximo, a exigência de creditar o conteúdo e compartilhar pela mesma licença. Com as informações em mãos, os desenvolvedores podem criar aplicativos que ajudam a população na administração da cidade, estados e até da nação. Ao realizar o cruzamento dos dados, é possível criar apps que demonstrem ao cidadão informações sobre linhas de ônibus, empresas reclamadas no Procon, informações sobre candidatos políticos eleitos, entre outras.

Funcionando como um banco de dados do Governo Federal desde 2012, o Portal Brasileiro de Dados Abertos (dados.gov.br) é o centro para busca e acesso de dados abertos no Brasil. Atualmente, o site possui 1.052 conjuntos de dados com 8.582 recursos disponíveis para pesquisa e utilização pela sociedade, academia e empresários, por exemplo.

O ranking deu ao Brasil a nota máxima na abertura de informações sobre a legislação, estatísticas nacionais e resultado de eleições. Houve destaque no setor de compras públicas e orçamento do governo, indicando que esses dados estão plenamente disponíveis para a população. Mas, setores relacionados a registro e empresas, base de dados de localização e informações climáticas ainda enfrentam problemas.

Via OKFN

Fonte: http://idgnow.com.br/ti-corporativa/2015/12/03/brasil-sobre-14-posicoes-no-ranking-mundial-de-dados-abertos/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.