Governo deve gastar R$ 118 mil em novos celulares para deputados

Por Redação | 08 de Maio de 2014 às 11h24
photo_camera CNET/Mashable

A Câmara dos Deputados, em Brasília, começa nesta quinta-feira (8) uma cotação oficial para a compra de 43 novos aparelhos celulares que serão entregues a componentes da Mesa Diretora – que é responsável pela direção e administração da Casa – e líderes partidários. O gasto previsto é de R$ 118 mil para a aquisição de celulares como o iPhone 5S, Samsung Galaxy S4 e Nokia Lumia 1020, todos topo de linha de suas respectivas fabricantes.

Com valores que variam de R$ 1,5 mil a R$ 2,7 mil, os celulares têm gastos ilimitados com ligações e, agora, passarão a ter acesso à internet por meio de tecnologia 4G. A escolha de aparelhos e métodos de acesso foi feita pelos técnicos da própria Câmara levando em conta as necessidades do cargo de cada um dos congressistas.

Além destes, outros 50 smartphones mais simples devem ser cotados para distribuição na Secretaria de Comunicação e os órgãos policiais que atuam em Brasília. Cada um dos elegíveis a receber um novo aparelho poderá escolher entre os modelos disponíveis para sua categoria de função. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

A Câmara possui regras com relação ao uso de telefones celulares pelos parlamentares. Líderes partidários e integrantes do setor de administração dos trabalhos têm direito a duas linhas ilimitadas, com ligações locais, interurbanas e internacionais liberadas. Já os deputados podem usufruir de até seis delas, nos mesmos parâmetros e com os custos das chamadas sendo embutidos na verba de exercício parlamentar, que também cobre despesas como aluguel, carro, gasolina e alimentação.

Hoje, operadoras de telefonia forneceram, sem custos, diversos Nokia E72 para uso pelos parlamentares. Muitos, porém, acabam comprando aparelhos próprios e utilizando apenas os chips oficiais para uso de ligações e internet. A mudança é vista como vantajosa para a Câmara já que, apesar da compra de celulares gerarem custos, eles podem ser rebatidos em descontos nos planos de chamadas e acesso à rede.

A Folha de S.Paulo lembra também do caso do deputado Reginaldo Lopes, do PT de Minas Gerais, que chegou a gastar R$ 10,2 mil em ligações telefônicas ao longo de um único mês de 2013. No ano, o total em contas pagas ultrapassou R$ 132 mil.

Por fim, a Câmara afirmou que os valores citados em edital são apenas uma média de mercado e que o preço dos aparelhos podem cair durante o processo de cotação. Além disso, disse que está apenas estudando a proposta e que não é obrigada a adquirir os aparelhos, que apenas serão comprados em caso de necessidade.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.