Governo brasileiro anuncia prioridades tecnológicas para 2014

Por Redação | 22 de Janeiro de 2014 às 14h00

O governo federal anunciou uma série de prioridades para 2014, no que toca a ciência, tecnologia e inovação. De acordo com informações do MCTI, são seis as áreas principais que receberão maior atenção ao longo deste ano, com o objetivo de desenvolver o país, facilitar as pesquisas científicas e fomentar a inovação.

O ponto principal do planejamento é o desenvolvimento de melhores políticas de segurança online. Fruto principalmente das denúncias de espionagem por parte do governo dos Estados Unidos, a ideia é garantir que empresas nacionais e o setor público possam trabalhar com mais tranquilidade.

Para fazer isso, o governo federal pretende desenvolver tecnologia e conhecimento para garantir operações seguras, além de investir em startups que trabalhem nesse setor. O primeiro passo é a realização de uma Conferência Global sobre Governança na Internet, que acontecerá em abril na cidade de São Paulo.

A aprovação do Código de Ciência, Tecnologia e Inovação também é vista como um ponto bem importante. As normas prometem facilitar a vida dos pesquisadores e diminuir a quantidade de burocracia envolvida no setor, principalmente quando os trabalhos envolvem materiais ou equipamentos importados.

O governo brasileiro também pretende construir mais um satélite em 2014, dando continuidade ao programa espacial e garantindo linhas mais diretas de comunicação, sem interferências externas. O projeto, que estava previsto para 2015, foi adiantado e deve ser lançado no final deste ano.

Ainda, a tecnologia deve ser usada para a prevenção e detecção de desastres naturais por meio da criação de centros de monitoramento, que prometem agilizar a resposta das autoridades a catástrofes. Segundo Raupp, o objetivo é reduzir os deslizamentos e enchentes que atingem as cidades brasileiras todos os anos.

Investimentos e parcerias

A continuidade de programas já existentes também foi citada pelo ministro Marco Antônio Raupp. O governo, por exemplo, continuará a injetar dinheiro no Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, para garantir a modernização e manutenção das infraestruturas de comunicação.

Além disso, programas como o Ciência Sem Fronteiras, o Brasil Mais TI e a iniciativa Start-Up Brasil continuarão a garantir o acesso ao conhecimento e o desenvolvimento de novas ideias por meio de aporte de dinheiro do governo federal. O plano é conceder 101 mil bolsas de estudo até 2015, sendo que 60 mil já foram entregues, e investir R$ 20 milhões em companhias nacionais ou internacionais que trabalhem em projetos relacionados à área de tecnologia.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.