Tim cook e outros líderes tech condenam decisão de Donald Trump

Por Redação | 02 de Junho de 2017 às 14h01

A decisão de Donald Trump de retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris está causando polêmica. Para quem não sabe, o presidente norte-americano optou por não fazer mais parte do grupo de 177 países que pactuaram para a redução de emissões de carbono. Sua justificativa é de que a continuação no grupo implica na desaceleração da economia norte-americana.

Diante do anúncio da decisão, diversas personalidades de renome têm se pronunciado contra Donald Trump, e entre elas está ninguém menos que Tim Cook. O CEO da Apple enviou um e-mail interno aos funcionários da companhia dizendo que tentou convencer o presidente a manter os Estados Unidos no Acordo, mas que nenhum argumento foi suficiente para mudar sua opinião.

Mesmo com a iniciativa de Trump, que mostra sua descrença no aquecimento global, Cook fez questão de reafirmar o compromisso da Maçã com o meio ambiente. "Nós abastecemos quase todas as nossas operações com energia renovável, que acreditamos ser um exemplo de algo que é bom para o nosso planeta e que faz sentido como negócio também. Continuaremos trabalhando em direção aos ambiciosos objetivos de uma cadeia de fornecimento de circuito fechado e de, um dia, parar de extrair completamente novos materiais. É claro, continuaremos trabalhando com nossos fornecedores para ajudá-los a fazer mais para abastecer seus negócios com energia limpa. E continuaremos nos desafiando para fazer ainda mais", escreveu o CEO.

E não foi só Tim Cook que condenou a iniciativa. Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, se retirou dos conselhos consultivos de Trump após o anúncio e Mark Zuckerberg publicou no Facebook seu posicionamento sobre o assunto. “Retirar-se do Acordo de Paris é ruim para o meio ambiente, ruim para a economia e coloca o futuro de nossas crianças em risco”, escreveu. “De nossa parte, nos comprometemos que todos os novos centros de dados que construirmos serão abastecidos 100% por energia renovável”, disse o líder da rede social.

Brad Smith, presidente da Microsoft, também se pronunciou, revelando que, assim como Cook, não conseguiu persuadir Trump. “A Microsoft acredita que a mudança climática é um problema urgente que demanda ação global. Temos um compromisso duradouro com a sustentabilidade, que inclui operar 100% neutros em carbono e determinar metas para aumentar a quantidade de energia limpa para abastecer nossas operações. Todos vivemos em um pequeno planeta, e todas as nações precisam trabalhar umas com as outras para protegê-lo”, afirmou o executivo em uma publicação.

É... parece que os líderes tech terão de encontrar outras alternativas para lidar com a teimosia de Donald Trump.

Fonte: Gizmodo

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.