Qual usar? Notificações de Push ou SMS?

Por Colaborador externo | 16 de Setembro de 2016 às 17h30

Por Leonardo dos Reis Vilela*

Push é uma tecnologia que possibilita o envio de mensagens para smartphones e computadores, baseado na Internet, onde a requisição não parte do destinatário e sim a transação é iniciada pelo publicador, ou seja, o conteúdo é “empurrado” ao usuário mesmo sem a sua solicitação, daí a explicação do próprio nome. Assim, as notificações de push são mensagens de alertas enviadas aos dispositivos móveis e que notificam os usuários assim de sua chegada diretamente na tela principal do smartphone. Já o SMS (Short message service) é uma tecnologia disponível desde 03 de dezembro de 1992 quando o primeiro SMS foi enviado. Possibilita o envio de mensagens curtas de texto (160 caracteres) e é uma tecnologia atualmente disponível em 100% dos dispositivos móveis.

As empresas e organizações têm procurado gerar mais engajamento com a sua base de usuários com a utilização de ferramentas como SMS, push, e-mail e redes sociais. Neste artigo vamos falar sobre os benefícios de notificações de push e os cuidados que devem ser tomados em sua utilização.

As mensagens de push são consideradas menos intrusivas do que o SMS pelos usuários, pois os usuários podem habilitar o seu recebimento por aplicativo ou configurar o formato que podem chegar, pelo rápido descarte de mensagens não interessantes diretamente da central de notificações e ainda pelo fato de que as mensagens de push não interrompem a atividade atual que o usuário esteja desempenhando, por exemplo, se estamos escrevendo um email e chega um push, então este pode ser lido sem interromper a escrita do e-mail ou até mesmo descartado. Já o SMS é considerado mais intrusivo, pois a sua configuração é limitada, se alguém tem o seu número de celular ou se o seu número de celular é compartilhado na internet, qualquer pessoa pode passar a te enviar SMS sem a sua autorização.

Entretanto, mesmo o uso de notificações de push deve ser utilizado com muito cuidado e cautela. Mensagens indesejadas podem levar os usuários a desabilitar as notificações de push de seus aplicativos ou até mesmo a sua completa remoção. Uma estratégia já adotada por muitos aplicativos é permitir aos usuários configurar o que desejam receber de push dentro de seus próprios aplicativos. Por exemplo, em aplicativos de conversas e entrega de conteúdos como Whatsapp, Telegram e MyPush é possível desabilitar as notificações de conversas e/ou de canais, como também silenciar as notificações de algum canal em específico.

Todavia, é extremamente recomendável não utilizar notificações de push para envio de mensagens de ofertas ou propagandas, senão o seu conteúdo que deveria gerar engajamento passará a gerar rejeição. O envio de ofertas apenas deve ser utilizado caso o usuário tenha pré-ciência que irá receber isto, senão é preferível não fazê-lo.

Dicas para uso de notificações de push:

  • Seja cauteloso no envio. Se imagine recebendo o conteúdo;
  • Esteja atento ao horário para envio de pushs de acordo com o perfil de seu público;
  • Crie estratégias para segmentar o envio de pushs conforme o perfil de seu público e conforme a localização de seus usuários, caso você esteja enviando conteúdos específicos por regiões geográficas;
  • Crie mensagens curtas e diretas para gerar mais engajamento. No lugar de enviar ‘Confira a cotação do dólar’ prefira enviar ‘Dólar sobe 1% nesta manhã’.
  • E por fim, esteja atento ao resultado de engajamento para cada notificação disparada. Utilizar ferramentas de Analytics é essencial para entender como o seu público está reagindo aos pushs recebidos.

Portanto, o push é uma excelente ferramenta de engajamento, porém deve ser utilizada com bastante sensibilidade.

*Leonardo dos Reis Vilela – CEO da Cedro Technologies

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!