Para SAP, localização é chave para crescer em cloud

Por Leandro Souza | 02 de Dezembro de 2016 às 18h35
photo_camera Divulgação

Nos últimos anos, a SAP está investindo alto para crescer em novos produtos e com a oferta de seus softwares na nuvem, com esta estratégia se estendendo inclusive no Brasil e outros países ao redor do mundo. Entretanto, para consolidar esta estratégia, a companhia também aposta em inteligência para a localização de seus produtos em diferentes mercados.

Este foi o tema do Localization Summit, evento realizado pela multinacional na sua sede do SAP Labs Latin America, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Na ocasião, a companhia falou sobre como sua expansão em produtos na nuvem será fortemente ancorada nos esforços de localização do portfólio.

Atualmente a empresa já conta com 60 versões localizadas de seu mais recente sistema de gestão, o S/4 Hana, lançado no ano passado. De acordo com a empresa, o investimento em ferramentas que facilitem a customização e implementação de softwares como este em diferents geografia e vertcais será essencia para o crescimento da companhia.

Para atender a essa demanda, a companhia trabalhou nos últimos dois anos no SAP Translation HUB, um sistema baseado em nuvem que trabalha na tradução e adaptação inteligente dos softwares da companhia. Atualmente, ele já conta com 39 idiomas suportados.

O serviço faz parte do HANA Cloud, plataforma da SAP a nuvem que roda sobre o banco de dados em memória HANA. De acordo com a multinacional alemã, o serviço compõe um dos elementos que formam uma oferta mais abrangente que a SAP pretende agregar ao seu porfólio: entregar localização de software como um serviço.

Segundo observa Renato Ribeiro, Diretor de Desenvolvimento de Produto do SAP Labs Latin America, implementações de softwares de gestão como o S/4 ou de RH como o SuccessFactors exigem uma carga de ajustes e customizações, ainda mais quando se variam as verticais ou mercados. Um exemplo é o brasileiro, que tem complexidades em sua parte fiscal ou trabalhista.

"Nossa intenção é ter expertises comuns que podem ser compartilhadas como serviço, o que poderá resultar em implementações mais rápidas e eficientes. Muitas vezes, os problemas de uma implementação são os mesmo que o de uma outra, e assim podemos otimizar estes processos. Queremos tirar a complicação disso", afirmou Ribeiro.

Os esforços da SAP Brasil em estabelecer ofertas de localização como serviço ainda estão iniciando no país. Conforme o diretor, a empresa já trabalha há dois anos em testes com clientes e parceiros, mas será a partir de 2017 que a companhia pretende acelerar com este foco. O executivo não deu números de previsão ou metas para este mercado, mas o otimismo é grande, principalmente na parte cloud.

"Estamos falando de rapidez de entrega e redução de custos, então miramos verticais e clientes mais abertos a este tipo de oferta, como varejo e finanças, por exemplo, e necessidades como contabilidade e recursos humanos. Outras verticais nas quais temos bastante participação, como manufatura, podem levar um pouco mais de tempo", observa Ribeiro.

Atualmente, os centros do Translation Hub estão todos em data centers da SAP fora do Brasil. Quanto à produtos em nuvem, por enquanto a multinacional só tem um no país, dedicado à oferta do SucessFactors. Entretanto, Ribeiro não descarta a implementação de um centro local para o Translation Hub, dependendo da demanda.

"Primeiramente estão trabalhando para divulgar este novo componente em nosso portfólio, assim como trabalhar a ideia com nossos parceiros. Esta é uma nova oportunidade para nossos canais, que poderão focar em serviços mais avançados para os clientes, deixando de lado complicações decorrentes da localização dos softwares", finalizou o executivo.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.