O que motiva sua equipe?

Por Colaborador externo | 24.07.2015 às 07:58

Por Renato Lopes*

A palavra da vez é motivação. Todos os dias são criadas novas técnicas, avaliações, jogos, tudo para que a equipe tenha a motivação necessária para o dia a dia e possa entregar os resultados desejados, certo?

Não. Para mim, motivação é outra coisa. A motivação é pessoal, vem de dentro para fora e não de fora para dentro. E como saber qual é sua motivação? Essa brincadeira começa quando você responde uma simples pergunta: por que você se levanta para trabalhar todas as manhãs? Não importa se o motivo é super relevante ou algo banal, essa é sua motivação. Mas, se você já chegou ao nível de ficar aborrecido quando o despertador toca e você precisa se arrumar para sair de casa e ir ao trabalho, pode ter certeza de que esse é o momento de procurar um novo desafio em sua vida, para dar um novo sentido, uma nova motivação para acordar todas as manhãs.

Quando o líder acha que motivou sua equipe, na verdade ele deu uma “sacudida” em algo que já existe dentro dela, como meta ou objetivo maior. E quando o líder sabe o que motiva a equipe ou cada membro em particular, fica muito mais fácil trabalhar essa motivação.

Agora, como mexer com essa motivação vai depender de como sua equipe funciona. Em equipes empreendedoras, funciona a “motivo ação”. Isso mesmo, separe essa palavra, dê o motivo para a ação e gere um significado para isso. Se precisarmos, por exemplo, que seja feita uma mudança de emergência só porque é emergência, obviamente será feito. Esse é o motivo da ação. Quando há a explicação, o porquê daquilo estar ocorrendo, quais os benefícios que pode trazer e qual o grau de importância do colaborador nesse processo, faz toda a diferença. Ou seja, isso gera o motivo pelo qual se precisa da ação.

Existem outros meios que são considerados motivacionais, mas que de certa forma são temporais e não sustentáveis. Um exemplo é aquele que acontece como forma de agradecimento após a execução, como um “Legal, parabéns”, “É isso aí, vamos lá” ou “É assim que gosto de ver”. Essas frases por si só são vazias e devem ser utilizadas mais como agradecimento do que como impulso de motivação, pois não geram qualquer entendimento ou enriquece para melhorias futuras. Procure, ao utilizar essas frases, complementar apontando as atitudes que tem te deixado satisfeito, o que não está legal e o que poderia melhorar ainda mais. Isso mostra quão integrado você está com a equipe e possui conhecimento do que está sendo feito. É um sinal de respeito com o colaborador, além de gerar desafios com o que tem a melhorar – e esses desafios irão mexer com a motivação de sua equipe.

Agora, o grande segredo da motivação é que ela é individual, ou seja, pode ter várias vertentes como crença, dinheiro, ascensão rápida, fuga, qualidade de vida, etc. E é fundamental entender essa individualidade de cada membro da equipe para que se possa trabalhar a motivação de cada um, gerando assim os resultados necessários, conhecendo melhor as pessoas e entendo o momento de cada um.

Talvez, nessa hora, você tenha uma surpresa: ao fazer esse apanhado e enumerar as motivações mais comuns, você verá que a questão financeira é uma das motivações menos citadas. Hoje a maioria está em busca de qualidade de vida, realização pessoal, e ser parte integrante da empresa podendo contribuir diretamente com suas ideias e valores.

E se você, líder, nunca se fez essa pergunta, faça. Pense no que te motiva todos os dias pela manhã? Talvez essa pode ser a resposta que falta em sua vida, seja para ver quão feliz você é ou para ver que é a hora de buscar essa felicidade.

*Renato Lopes é Gestor da área de TI e acredita que a humanização dessa área é a chave para conquistar equipes de alta performance e auto gerenciáveis. Palestrante e Professor Universitário, Renato busca compartilhar técnicas e soluções para formar times vencedores e entusiastas, buscando a qualidade de vida junto à satisfação do trabalho.