O novo papel do CIO no conselho diretivo das empresas

Por Colaborador externo | 05.08.2015 às 07:52

Por Juan Pablo Jiménez*

Vivemos em um mundo onde estamos rodeados de tecnologia em nossas vidas pessoais e profissionais. E os conselhos de administração já valorizam e reconhecem os benefícios e a importância da tecnologia para o potencial de seus negócios. Por isso, o CIO desempenha um papel chave em reuniões do conselho. O perfil do CIO está passando por uma transformação, e ele está deixando de ser visto como um provedor de serviços que resolve problemas técnicos para ser uma peça chave na organização, contribuindo para alcançar os objetivos de companhia por meio de soluções estratégicas. Por esse motivo, os conselhos que viabilizam a participação ativa do departamento de TI em suas decisões estão um passo à frente em termos de competitividade, por que conseguem desenvolver estratégias de negócio que otimizam a produtividade e oferecem maior eficiência, além de uma gestão financeira mais evoluída em termos do ROI da TI.

Nesse sentido, existem três aspectos chaves para que o CIO assuma um papel estratégico no conselho:

  • Alinhar as estratégias de TI com as estratégias do negócio: o principal motivo de ampliar o envolvimento dos diretores de TI com as estratégias corporativas é garantir que a TI estará numa posição onde consegue apoiar o negócio com mais eficiência. Os diretores devem ter a capacidade de apresentar sua estratégia de maneira clara e destacar a importância da tecnologia para aprimorar os processos corporativos, e assim alcançar as metas e desenvolver a estratégia do negócio.
  • Garantir que os projetos de TI rendam mais que seus investimentos: uma pergunta constante para os diretores de TI é "quanto isso vai custar?" Obviamente, em muitos casos a infraestrutura de TI representa um investimento considerável. O crescimento competitivo requer investimentos e isso implica passar horas apresentando relatórios e explicações ao conselho. Por isso, os conselhos precisam de informações adequadas para entender as projeções financeiras, a segurança, o controle de riscos e o plano operacional que o projeto de TI representará para a organização. Assim, os CIOs devem ter a capacidade de estruturar suas propostas e apresentá-las a um nível alto de executivos, com ênfase em ROI.
  • Aumentar o conhecimento do conselho na área de TI. Um CIO estratégico compartilha seus conhecimentos e divulga os aspectos mais relevantes dos projetos de TI, oferecendo ferramentas-chave para ampliar o conhecimento do conselho e facilitar a compreensão da tecnologia. As organizações precisam saber como e porque a TI deve nortear os negócios.
  • Contribuir para o crescimento do negócio. Em paralelo, o CIO não deve se limitar à "resolução de problemas", mas deve contribuir para o crescimento do negócio, ser criativo e levar novas ideias para o conselho, encontrando novas formas para que a área de TI ajude a organização a apresentar projetos em que a tecnologia pode ser um recurso para gerar receitas. Por isso é fundamental conhecer o negócio.

Sem dúvida, a integração do CIO com o conselho exige mudanças em relação ao paradigma tradicional do papel de TI. E cada CIO tem o potencial de ser uma peça chave dentro da organização, trazendo ideias e propostas estratégicas, alinhadas com o negócio. Num momento em que a tecnologia está no centro das atenções, contar com um CIO que consegue contribuir para que a companhia seja mais competitiva, reduza custos, maximize o uso da tecnologia e apresente cálculos claros sobre o ROI, ele passará a ter grande valor para a companhia e será fundamental para sua interação junto a outros departamentos.

*Juan Pablo Jiménez é Vice-presidente da Citrix para a América Latina e o Caribe.