O imenso desafio de gerir informações

Por Colaborador externo | 11 de Maio de 2017 às 10h30

*Por Celso Vergeiro

O mundo está cada vez mais tecnológico e o conteúdo audiovisual necessita alcançar um público mais abrangente por meio de múltiplas plataformas. Essa evolução fez com que anunciantes e agências aumentassem consideravelmente o volume de informações para a criação de suas campanhas. Porém, isso trouxe novos desafios para o gerenciamento desses imensos volumes de ativos digitais e a busca por novas soluções para suprir a demanda.

Um exemplo disso é que hoje não existe mais uma estratégia de canal único para vídeos, ela tornou-se multicanal. Antigamente, as campanhas eram voltadas apenas para televisão, em suas telas de tubo, mas esse cenário mudou totalmente nos últimos anos, abrangendo múltiplos formatos e plataformas. O vídeo tornou-se um recurso direto para promover o engajamento de campanhas tanto no online quanto no offline. Vale lembrar que cada um destes arquivos deve ser meticulosamente adaptado às especificações exigidas no seu destino final.

Outro ponto relevante é a mudança de posicionamento das marcas, que anteriormente criavam campanhas de alcance local ou no máximo regional, mas hoje tornaram-se globais, aproximando marcas de seus consumidores até mesmo em mercados anteriormente inexplorados. Tudo isso com o auxílio da internet, é claro! No entanto, à medida que as campanhas publicitárias passaram a ser globais, os processos de gerenciamento criativo inspiraram um novo modelo centralizado de produção e gestão de conteúdo, e isso é o ponto chave dessa questão.

O conteúdo precisa ser entregue e avaliado por diversas pessoas e departamentos, que podem estar localizados em diferentes lugares do mundo, e para conseguir uma visão completa de uma campanha global é preciso investir em ferramentas de gestão. Não dá mais para monitorar manualmente todos os aspectos criativos de uma ação publicitária, pois é uma tarefa árdua e suscetível a erros que, consequentemente, irão aumentar os custos finais da campanha.

Finalizo esse texto dando um recado para anunciantes e agências: não trate a compra de sistemas que facilitam as ações como gasto, trate-a como investimento. São eles que permitirão que você tenha a capacidade de controlar e medir a eficácia de seu conteúdo e monitorar quais canais e tipos de materiais estão produzindo maior impacto, tudo em tempo real, de forma rápida e em poucos cliques. Isso determinará onde e como os recursos da sua campanha devem ser investidos.

*Celso Vergeiro é CEO da AdStream, plataforma de armazenamento e distribuição de conteúdo publicitário

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.