Mais um funcionário de alto escalão da Uber deixa a empresa

Por Redação | 12 de Julho de 2017 às 18h58

A reformulação da Uber não tem sido um processo fácil. De acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (12), AG Gangadhar, chefe de engenharia da companhia, também deixou a empresa. O dado mais importante, no entanto, é que Gangadhar foi o diretor do principal departamento acusado de assédio sexual e discriminação dentro da Uber.

Há cinco meses, a engenheira Susan J. Fowler fez uma publicação na web relatando ter sofrido assédio sexual e discriminação de gênero dentro da companhia. Em seu desabafo, Fowler disse, inclusive, que pediu transferência para outro departamento, mas que seus superiores recusaram o pedido por conta de problemas de desempenho no trabalho. Na realidade, a engenheira garante que teve pontuação de desempenho perfeita e que nunca houve qualquer queixa sobre o seu trabalho.

Depois das alegações de Fowler, a Uber realizou uma investigação interna, na qual analisou 215 acusações de assédio sexual, discriminação, comportamento não profissional, bullying, entre outros. Como resultado da operação, a companhia demitiu mais de 20 funcionários. As polêmicas também levaram à saída do então CEO, Travis Kalanick, e de vários outros executivos.

Segundo as revelações, a partida de Gangadhar, porém, não está relacionada às reivindicações de Fowler. De qualquer forma, a notícia mostra que a Uber coleciona mais um cargo vago. Atualmente, a empresa opera sem um CEO, COO, presidente, vice-presidente sênior de engenharia e conselheiro geral.

Via TechCrunch

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.