ex-CIO da Colgate-Palmolive dá dicas para planos estratégicos de TI

Por Rafael Romer | 14 de Agosto de 2013 às 08h10

Setores de empresas que tomam decisões e adotam soluções de tecnologia sem consultar o setor de TI ou CIOs podem ser um risco para a companhia, afirmou o ex-CIO da Colgate-Palmolive Ed Toben durante o SAP Innovation Experience, que foi realizado na última quinta-feira (08), em São Paulo. "Você pode até ter grandes corporações que lidam com a TI separadamente, mas em linhas gerais, há risco", afirma. Agora aposentado, Toben ocupou a posição de líder de TI durante cerca de 20 anos na empresa global norte-americana. Atualmente, a Colgate-Palmolive realiza 75% dos seus negócios fora dos Estados Unidos e possui um valor de mercado de cerca de US$ 17 bilhões (R$ 38 bi).

Para o executivo, apesar das comunidades de negócios terem amadurecido o seu entendimento de TI nos últimos anos, ainda há certa limitação de conhecimento para pessoas que não são da área, o que exige a firme atuação do profissional de TI.

Toben explica que apesar das mudanças e inovações tecnológicas que ocorreram nas últimas décadas, fundamentalmente a maneira como lidamos com TI ainda é a mesma. Os elementos e a arquitetura de TI de um smartphone e os de um mainframe continuam iguais: o hardware, o sistema operacional, o banco de dados, as aplicações, conexões de rede ou mobile e dispositivos. "De um ponto de vista de TI, apesar de muito melhores, mais rápidos e melhorados, os fundamentos não foram alterados. Como você gerencia esses programas não foi modificado. Um profissional de TI sabe como fazer isso", explica.

Para tanto, é necessário que a empresa desenhe um plano estratégico específico de TI, que seja capaz de apontar quais são as ferramentas buscadas para ampliar o negócio, além de qual será a linha que o CIO deve seguir na hora de aprovar ou não a adoção de soluções para a empresa. "A regra é se isso cabe no plano ou não cabe no plano. E quando não cabe, o CIO precisa ser bem firme", diz.

Sobre a renovação da TI e as mudanças no papel dos CIOs dentro de empresas, Toben ressalta a importância de que estes executivos estejam sentados na mesa ao lado de tomadores de decisões da empresa. "Organizações nas quais o papel do CIO está embedado no negócio e no gerenciamento do negócio, é isso que você precisa", opina.

Apesar de não ser nova, a tendência deve se tornar ainda mais forte nos próximos anos, conforme a TI e os outros departamentos de empresas se encontrem mais em áreas como Big Data, BI e cloud, por exemplo. "Os negócios precisam entender isso e o CIO precisa entender isso".

Durante sua atuação na Colgate Palmolive, Toben foi responsável por um processo de implementação e renovação de TI junto à SAP que passou pela desativação de todos os sistemas de legado da empresa, além da expansão de portifólio, renovação de Gestão de Relacionamento com o Cliente (CRM, em inglês), de Business Intelligence e de diferentes áreas da empresa, como recursos humanos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.